Vulcabras acerta joint-venture com Adidas no Brasil

A Vulcabras e o grupoAdidas anunciaram nesta terça-feira que decidiram montar umajoint-venture no Brasil para reforçar a presença da marca deprodutos esportivos no país, na Argentina e no Paraguai. A joint-venture deve começar a vender calçados, roupas eacessórios da Reebok nos três países a partir de abril,incentivando a Adidas a elevar sua previsão de crescimento devendas na região de até meio ponto percentual para até 1 pontopercentual. Os termos financeiros da aliança não foram revelados pelascompanhias. Com a constituição da nova empresa, a Vulcabras deixará depagar royalties pelo uso da marca Reebok, passando a dividiruma parcela dos lucros totais do negócio. A Vulcabras passará ater o direito de importar produtos diretamente dos fabricantesda Ásia, o que representará uma redução nos preços pagos pelosprodutos importados, informou a companhia. A joint-venture será presidida por Pedro Grendene Bartelle,presidente do conselho da Vulcabras. A nova empresa tem duraçãoprevista até o final de 2015 e terá conselho de administraçãocomposto de executivos da Reebok e da Vulcabras. As ações da Vulcabras operavam em alta de 1,62 por cento às12h20, cotadas a 20,11 reais. No mesmo horário, o Ibovespaexibia valorização de 2,05 por cento. Os resultados financeiros da joint-venture serãoconsolidados dentro do grupo Adidas a partir de 1o de abril,informou o segundo maior grupo esportivo do mundo,acrescentando que todas as previsões de desempenho do grupodivulgadas em 5 de março continuam inalteradas. A Vulcabras é distribuidora exclusiva e licenciada deprodutos da Reebok no Brasil e Paraguai desde 1992. "Reebok e Vulcabras também estão negociando para formar umajoint-venture na Argentina, onde uma subsidiária da Vulcabrastem sido a distribuidora exclusiva da Reebok desde 2004",informou a Adidas. O grupo Vulcabras, que em julho do ano passado comprou aCalçados Azaléia e a argentina Indular, faturou 1,1 bilhão dedólares em 2007 e se classifica como a maior fabricante decalçados e artigos esportivos da América Latina. (Por Christiaan Hetzner)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.