Wall St sobe com balanços e sinais de melhora na economia

O mercado de ações norte-americano subiu na segunda-feira com resultados corporativos fortes e sinais de uma melhora na economia, apesar do salto no preço do petróleo, que destacou o potencial de um risco político maior no Oriente Médio prejudicar os mercados.

EDWARD KRUDY, REUTERS

31 de janeiro de 2011 | 20h29

O vice-presidente egípcio, Omar Suleiman, disse na segunda-feira que o presidente Hosni Mubarak pediu que iniciasse um diálogo com todas as forças políticas, enquanto que as Forças Armadas do país prometeram não abrir fogo sobre manifestantes pacíficos.

Essas informações mais recentes acalmaram os ânimos nos mercados acionários após registrarem sua maior queda em quase seis meses na sexta-feira. A melhora na confiança de investidores ajudou o índice Market Vectors Egypt ETF a saltar 7,9 por cento, indicando que o apetite de investidores por risco se recuperou um pouco na região.

O alívio geral de que a crise não parece estar piorando permitiu que investidores focassem em dados que mostraram o fortalecimento dos gastos pessoais e da produção industrial regional nos EUA, enquanto que os resultados melhores que o esperado divulgados pela petrolífera Exxon Mobil impulsionaram as ações da companhia em mais de 2 por cento.

No fechamento desta segunda-feira, o índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 0,58 por cento, para 11.891 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 0,49 por cento, para 2.700 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,77 por cento, para 1.286 pontos.

No acumulado de janeiro, o índice Dow subiu 2,7 por cento, enquanto que o S&P acrescentou 2,3 por cento e o Nasdaq, 1,8 por cento. Foi o quarto mês de ganhos, dos últimos cinco, para os três principais índices dos EUA.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.