Wall Street cai com tensão sobre montadoras e financeiras

As bolsas de valores norte-americanas fecharam em queda nesta quinta-feira, devido às fracas perspectivas sobre o a aprovação de um pacote de ajuda para as montadoras de Detroit, enquanto comentários negativos do presidente-executivo da JPMorgan sobre o setor bancário atingiram as ações financeiras. O índice Dow Jones teve baixa de 2,24 por cento, a 8.565 pontos. O Standard & Poor's 500 caiu 2,85 por cento, a 873 pontos. O Nasdaq recuou 3,68 por cento, a 1.507 pontos. A queda se confirmou no final da tarde, mas o dia foi guiado por uma sequência de notícias econômicas e corporativas, incluindo o número de auxilío desemprego que atingiu a máxima em 26 anos. A JPMorgan Chase foi o maior peso sob Dow, caindo mais de 10 por cento. As vendas de ações bancárias aceleraram depois que o presidente-executivo Jamie Dimon afirmou à CNBC que o ambiente deste final de ano está "terrível". O índice de ações financeiras do S&P tombou 8,5 por cento. "Isto reitera o quão difícil está este mercado e quanto a economia real está recuando com o mercado financeiro", afirmou Giri Cherukuri, líder de operações da OakBrool Investments. "São notícias contínuas de que o mundo realmente não mudou. Ainda é um mundo duro lá fora."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.