Wall Street cai pelo 3o dia por tecnologia e temor com crédito

As bolsas de valores dos EstadosUnidos fecharam em forte queda nesta sexta-feira, após adecepcionante previsão de crescimento da Qualcomm ter levado àvenda de papéis de tecnologia e ajudado a pressionar o índiceNasdaq à sua maior desvalorização semanal em pontos desde 11 desetembro de 2001. O índice Dow Jones recuou 1,69 por cento, a 13.042 pontos.O Standard & Poor's 500 caiu 1,43 por cento, para 1.453 pontos,enquanto o termômetro de tecnologia Nasdaq despencou 2,52 porcento, a 2.627 pontos. A Qualcomm, desenvolvedora de tecnologia wireless (semfio), previu na noite de quinta-feira que os rendimentos ereceitas de 2008 ficariam abaixo das expectativas de analistas,um dia após a Cisco ter alertado sobre a demanda de seusclientes do setor bancário. Piorando ainda mais o cenário, a Fannie Mae, maior fonte definanciamento de hipotecas nos EUA, registrou um prejuízolíquido no terceiro trimestre duas vezes maior do que no anoanterior. No dia, as ações da empresa caíram 1,6 por cento, a49 dólares. E o Wachovia, quarto maior banco dos EUA, abalou osmercados financeiros ainda mais ao revelar uma perda potencialde 1,7 bilhão de dólares por conta dos problemas no mercadoimobiliário. As ações do banco caíram mais de 5 por cento, para38,05 dólares. As notícias decepcionantes desta semana vindas decompanhias de tecnologia trouxeram preocupação de que a crisedo crédito imobiliário pode estar afetando a demanda porprodutos do setor. O setor tecnológico, até recentemente,estava sendo uma luz na escuridão para investidores. "Parece, há uns dois dias, que temos estado em um modo decorreção. Hoje certamente amplia esse sentimento", disse TimGhriskey, vice-presidente de investimentos da Solaris AssetManagement em Bedford Hills, em Nova York.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.