Wall Street fecha em alta; petróleo contém otimismo nos índices

Comentários otimistas do investidor Warren Buffett ajudaram os principais índices dos Estados Unidos a encerrar outro mês com resultados positivos na segunda-feira, mas a incerteza quanto aos preços do petróleo pode refrear o impulso de investidores de sustentar maiores avanços.

REUTERS

28 de fevereiro de 2011 | 19h25

O Dow Jones teve variação positiva de 0,79 por cento, para 12.226 pontos. O Standard & Poor's 500 avançou 0,56 por cento, para 1.327 pontos. O Nasdaq subiu 0,04 pontos, para 2.782 pontos.

Um sinal de que o ritmo dos ganhos está diminuindo ficou evidente no baixo volume de negócios, em contraste com a venda em massa da semana passada. Somente 7,3 bilhões de papéis trocaram de mãos na Bolsa de Nova York, número muito abaixo da média do ano passado, de 8,47 bilhões.

"Investidores estão, claramente, avaliando o mercado com base nas decisões da maioria, esperando o que vai acontecer no futuro, tanto em relação ao Oriente Médio, à sustentabilidade desse salto (no preço do petróleo) e pensando o que a alta fará à economia global, se sustentado", afirmou Peter Boockvar, estrategista de ações na Miller Tabak + Co em Nova York.

O preço do petróleo tipo Brent, que subiu para 120 dólares o barril na semana passada, recuou para 112 dólares. Porém, investidores ainda estiveram apreensivos de que a recuperação econômica global seja ameaçada caso os preços fiquem nesse patamar.

Buffett, presidente da Berkshire Hathaway, falou em sua carta anual aos investidores sobre a necessidade de "grandes aquisições", um sinal de que as ações podem estar baratas.

Os ganhos do Nasdaq foram os menores com a queda de 2,2 por cento nas ações da Amazon, depois que o UBS diminuiu a recomendação para as ações da varejista, citando maiores custos da empresa.

No mês, o Dow acumulou ganhos de 2,8 por cento, o S&P avançou 3,2 por cento e o Nasdaq subiu 3 por cento.

Comentários do Federal Reserve, sugerindo que estaria pronto para dar apoio à economia se necessário, ajudou a aliviar preocupações sobre o fim do programa de compra de títulos do Fed de 600 bilhões de dólares, previsto para terminar neste ano.

(Reportagem de Angela Moon)

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.