Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Wall Street fecha perto do zero após e encerra agosto no vermelho

As bolsas de valores norte-americanas terminaram perto da estabilidade a volátil sessão desta terça-feira, fechando um mês que o mercado gostaria de esquecer.

RODRIGO CAM, REUTERS

31 de agosto de 2010 | 18h33

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, cedeu 0,05 por cento, a 10.014 pontos. O índice Standard & Poor's 500 subiu 0,04 por cento, a 1.049 pontos. O Nasdaq caiu 0,28 por cento, para 2.114 pontos.

No acumulado do mês, o Dow cedeu 4,31 por cento, e o Nasdaq despencou 6,24 por cento. O S&P 500 perdeu 4,75 por cento, no pior agosto desde 2001.

Dados surpreendentemente positivos sustentaram alguma valorização na maior parte da jornada, mas a queda em ações de tecnologia suprimiu os ganhos como um todo. O S&P 500 se recuperou e fechou pouco acima do nível técnico de 1.040 pontos pela terceira vez nas últimas cinco sessões.

O índice caiu em três dos últimos quatro meses, pressionado pela crescente evidência de que a recuperação econômica está perdendo fôlego.

A confiança do consumidor norte-americano subiu mais que o esperado em agosto, e os preços de moradias tiveram discreta alta em junho. Do lado negativo, a atividade empresarial no Meio-Oeste do país cresceu em agosto um pouco menos que as projeções de economistas .

"Parece que o mercado está mudando o foco a cada safra de dados", disse Eric Kuby, vice-presidente de investimento do North Star Investment Management Corp, em Chicago.

"Cada notícia provoca uma reação. Quinze minutos depois, os investidores estão olhando para a próxima notícia."

As ações da Broadcom tombaram 6,4 por cento. O índice de semicondutores PHLX fechou no menor nível em quase 10 meses, ainda reagindo ao alerta feito pela Intel na semana passada sobre sua receita.

Os papéis da Intel recuaram 1,6 por cento. Na sexta-feira passada, a companhia disse que sua receita pode vir abaixo das estimativas da própria empresa.

A ata da última reunião do Federal Reserve pressionou ainda mais o mercado. No documento, a autoridade sugeriu que a perspectiva para a economia norte-americana teria de se deteriorar significativamente para gerar mais estímulos por parte do Fed .

As ações da Research in Motion listadas nos EUA perderam 6 por cento, depois que a Sanford C. Bernstein reduziu o preço-alvo da ação, citando uma ameaça à contribuição nos lucros no braço empresarial da fabricante do BlackBerry.

(Reportagem adicional de Edward Krudy)

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.