Wall Street recua por Goldman Sachs e setor de tecnologia

O índice Standard and Poor's 500 sofreu a maior queda percentual diária em quase dois meses nesta quarta-feira, após resultados decepcionantes de Goldman Sachs e Wells Fargo.

CHUCK MIKOLAJCZAK, REUTERS

19 de janeiro de 2011 | 19h51

O índice Dow Jones, referência da Bolsa de Nova York, recuou 0,11 por cento, para 11.825 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 1,46 por cento, para 2.725 pontos. O índice Standard & Poor's 500 perdeu 1,01 por cento, para 1.281 pontos.

O recuo do Nasdaq foi o maior desde 16 de novembro, pressionado pela forte baixa de 14,5 por cento nas ações da fabricante de chips Cree, após a empresa reportar resultados frustrantes.

"Até as ações de empresas cujos balanços estão superando as expectativas não estão tendo um desempenho favorável para o mercado. Pode ser o momento de uma pausa", disse Paul Mendelsohn, estrategista-chefe de investimento da Windham Financial Services, em Charlotte, Vermont.

Um grande exemplo disso foi o comportamento dos papéis da Apple, que cederam 0,5 por cento mesmo após a companhia divulgar na véspera um lucro trimestral que superou em muito as expectativas de Wall Street. O balanço foi impulsionado por fortes vendas de iPhones, iPods e computadores Mac .

Os papéis do Goldman Sachs caíram 4,7 por cento, maior queda desde 30 de abril, depois de o banco informar uma baixa de 53 por cento em seu lucro, com a receita operacional despencando .

As ações do Wells Fargo perderam 2 por cento, refletindo o balanço divulgado pela instituição, que ficou aquém das estimativas de analistas .

As perdas no Dow Jones foram limitadas pela alta de 3,4 por cento nas ações da IBM, que na véspera levou a público um forte balanço .

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHAATUALIZA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.