Walmart lança site próprio de compra coletiva

Meta da rede varejista com a estratégia de compras coletivas é elevar em até 10% o faturamento com as vendas pela internet

Márcia De Chiara de O Estado de S. Paulo,

27 de maio de 2011 | 20h10

A partir da semana que vem, o Walmart, terceira maior rede varejista do País, estreia no segmento de compras coletivas. O site de comércio eletrônico da empresa terá uma área reservada para compras em grupo, onde serão oferecidos produtos com descontos agressivos, válidos a partir do momento em que a promoção conseguir reunir determinado número de participantes.

"Nossos descontos não serão inferiores a 20%", afirma o diretor de Marketing do e-commerce Walmart Brasil, Roberto Wajnsztok. Apesar de esse canal de vendas estar localizado dentro do site da própria empresa, o executivo ressalta que o ambiente de compras coletivas é diferenciado, inclusive tem um nome próprio: Clube Walmart.

Além do site, o acesso às compras coletivas poderá ser feito por meio de redes sociais, blogs e microblogs, como Twitter, Facebook, Orkut, YouTube, por exemplo.

Segundo Wajnsztok, o segmento de compras coletivas deve acrescentar entre 5% e 10% ao faturamento da divisão de comércio eletrônico da companhia no Brasil. "A expectativa é de que aumente em cerca de 15% o número de clientes do e-commerce", diz o executivo.

Apesar de ocuparem o mesmo espaço na página eletrônica do grupo, Wajnsztok ressalta que não há risco de canibalização entre os dois canais de venda. "Queremos agregar valor", diz.

Segundo o executivo, as promoções do canal de compras coletivas não devem trombar com as do site de comércio eletrônico. Mesmo utilizando a mesma estrutura de logística e de compras do site, Wajnsztok explica que as promoções destinadas às compras coletivas serão negociadas especificamente para esse fim, por isso os descontos serão maiores que os do site. E abrangência desse canal será nacional, isto é, está aberto a consumidores de todo País.

A intenção da empresa é dar, com as compras coletivas, agilidade ao segmento de comércio virtual. A cada dois dias, por exemplo, as promoções serão renovadas.

Perfil. O executivo destaca, por exemplo, que o consumidor que busca compras coletivas costuma estar disposto a gastar menos do que o cliente do e-commerce. "No clube de compras o tíquete médio é menor", diz.

Entre os produtos que serão ofertados para compras coletivas, estão itens de informática, games, eletrônicos e livros. Normalmente, explica Wajnsztok, são ofertados serviços nos sites de compras coletivas, como massagem, jantar em restaurantes da moda, tratamentos estéticos, por exemplo. Nesse aspecto, o Clube Walmart quer ser diferente da concorrência.

De toda forma, a estreia da rede varejista em site de compras coletivas, algo inédito para lojas do varejo tradicional, vem sendo preparada há algum tempo. Para conhecer esse novo canal de vendas, faz quatro meses que a companhia vem participando de outros sites de compras coletivas disponíveis no mercado. E a intenção, segundo o executivo, é continuar participando desses sites, mesmo depois da estreia da companhia em seu canal específico de compras coletivas.

E-commerce. O Walmart iniciou suas operações no varejo virtual em outubro de 2008. Por motivos estratégicos, a empresa não revela nem o faturamento desse canal de vendas nem a sua fatia na receita total. Mas, segundo o executivo, o desempenho do varejo virtual é crescente. A meta traçada para este ano é ampliar a receita do site em 60% na comparação com 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.