Divulgação/XP
Divulgação/XP

XP cede ao apelo do espaço físico e vai abrir 100 unidades para dobrar número de clientes

O movimento é oposto ao dos grandes bancos, que têm fechado agências pelo País; empresa vai usar locais para eventos

Cynthia Decloedt, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2022 | 18h36

A XP inaugurou seu primeiro espaço físico, no Cristal Tower em Manaus, para atender clientes e agentes autônomos. Esse espaço é o primeiro de 100 que a plataforma de investimento, que nasceu digital há mais de 10 anos, pretende abrir nos próximos cinco anos.

O movimento é oposto ao dos grandes bancos, que têm fechado agências pelo País. A XP busca emplacar um conceito diferente, assim como fez com quando chegou ao mercado se vendendo como “shopping de investimento”. Os espaços têm uma proposta de serem hubs de experiências, com atividades interativas e de educação financeira. A ideia da XP é ter presença nas principais capitais brasileiras, assim como no interior de alguns dos estados.

"Nossa meta é dobrar o tamanho da operação, número de clientes e custódia até o final do ano. E, neste contexto, o espaço terá um papel fundamental”, afirma Julio Mello, Head de B2C da XP. Atualmente, a XP tem perto de R$ 900 bilhões sob custódia e mais de 3,5 milhões de clientes. O projeto evidencia a necessidade do contato físico para a XP alcançar seu proclamado objetivo de abocanhar uma fatia maior dos clientes dos bancos.

Em Manaus, por exemplo, a expectativa é que aconteçam eventos todos os meses no espaço, como workshops, incluindo na agenda nomes relevantes do cenário econômico e financeiro, entre eles: Caio Megale (economista-chefe da XP), Pablo Spyer (influenciador famoso pelo bordão ‘Vai, Tourinho’) e Fernando Ferreira (estrategista-chefe da XP).

O diretor de Marketing da XP, Lisandro Lopez, diz que a empresa quer fortalecer a marca em Manaus e expandi-la em bases nacionais em praças estratégicas. A escolha da capital amazonense para receber o primeiro Espaço XP segue a lógica de a região ser um dos principais e mais estratégicos hubs de negócios no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.