Divulgação/XP
Divulgação/XP

XP lança programa de formação de agentes para captar clientes no interior do País

Companhia fará curso para 1,5 mil pessoas, com o objetivo de contratar parte desta mão de obra; Itaú também vem investindo em mais agentes de investimento

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2022 | 11h55

Depois de constatar que tem uma presença mais fraca no interior do que em grandes capitais, a XP traçou uma nova estratégia para crescer fora dos grandes centros. Para isso, resolveu retornar às origens e lançar uma espécie de curso profissionalizante para formar 1,5 mil novos agentes autônomos até o fim deste ano. A meta é de que cada Estado brasileiro tenha, pelo menos, 30 selecionados.

A estratégia vai ao encontro do recente anúncio de abertura de pontos físicos pela XP pelo País, uma mudança da postura da corretora que nasceu digital. A companhia pretende abrir pelo menos cinco “agências” até o fim do ano, com uma expectativa de cem unidades de atendimento até o fim do ano.Pelo mapeamento feito pela XP, nos rincões do País a participação da XP cai à medida que os investidores locais têm uma maior propensão a deixar o dinheiro nos grandes bancos.

O objetivo da companhia é aproximar a participação média da XP daquela que a plataforma possui em São Paulo e Rio de Janeiro, de cerca de 25%. “Ainda há muito mercado para captar nas grandes cidades, mas agora olharemos regiões em que não tínhamos grande foco”, afirma o responsável da relação com consumidores da XP, Julio Mello. Ao contrário de outros cursos já dados pela XP,  dessa vez o foco será nos agentes autônomos, profissionais que sempre funcionaram como um pilar de crescimento  da empresa.

A XP não está sozinha na busca por assessores de investimento. Na segunda-feira, 9, em seu balanço financeiro, o Itaú Unibanco informou que contratou 3,5 mil pessoas no último trimestre, com foco nesse tipo de profissional. "Aumentamos a quantidade de assessores de investimento e, comprometidos a acelerar nosso processo de transformação digital, fizemos contratações na área de tecnologia”, disse o presidente do banco, Milton Maluhy.

O programa da gigante dos investimentos ocorre em meio a uma queda da receita no primeiro trimestre do ano, que a companhia justificou pela variante Ômicron e fraca atividade do mercado de capitais no País.  Após o balanço, o Goldman Sachs revisou para baixo a projeção de lucro da companhia em 2022, para R$ 4 bilhões. 

Contratações à vista

Dos 1,5 mil profissionais que sairão formados do curso da empresa de investimentos, o que incluirá duas semanas de imersão na sede da companhia em São Paulo – com custos bancados pela XP –, a ideia é de que os novos profissionais sejam absorvidos diretamente pela companhia ou por escritórios já acoplados à plataforma. Hoje, a companhia tem mais de 10 mil agentes autônomos, número que pretende triplicar em cinco anos. 

Com mais profissionais espalhados pelo Brasil, a expectativa é de que os escritórios ampliem seus negócios para novas regiões, destaca Mello. No total há 17 mil desses profissionais no Brasil, segundo dados da Associação Nacional das Corretoras de Valores.

chefe da área de relacionamento com clientes da XP Inc., Bruno Ballista, explica que o plano de treinar novos profissionais se justifica pela expectativa de contínua alta de demanda. “Queremos formar, mas também conseguir ampliar o alcance dessas pessoas treinadas por nós”, comenta.  “Nossa estratégia de crescimento regional com o profissional independente segue a todo vapor, e as novas lojas físicas potencializam o projeto.” / COLABOROU MATHEUS PIOVESANA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.