Luiz Chaves/ Governo do Estado do RS
Luiz Chaves/ Governo do Estado do RS

Yara, de fertilizantes, vai investir R$ 1 bilhão no RS

O investimento faz parte dos planos da empresa de se fortalecer para atender o crescimento do agronegócio no País e vai dobrar a capacidade de produção de fertilizantes para 800 mil toneladas por ano

Agências Internacionais

12 de abril de 2016 | 04h34

A produtora norueguesa de fertilizantes Yara vai investir US$ 275 milhões (R$ 1 bilhão) na expansão e modernização da sua fábrica no Rio Grande do Sul, informou a companhia ontem em comunicado. O investimento faz parte dos planos da empresa de se fortalecer para atender o crescimento do agronegócio no País e vai dobrar a capacidade de produção de fertilizantes para 800 mil toneladas por ano. O projeto está previsto para ser concluído até 2020.

"Esta expansão representa outro passo na nossa estratégia de crescimento no Brasil, nos posicionando como um player de longo prazo", disse o presidente da norueguesa Yara, Svein Tore Holsether.

A Yara já investiu cerca de US$ 1,5 bilhão no Brasil recentemente, com a aquisição da unidade de fertilizantes da Bunge no País, por US$ 750 milhões, e de 60% de participação na produtora de fertilizantes Galvani, entre outros investimentos. Segundo notícias publicadas na semana passada, a Yara é vista como uma das principais candidatas a comprar da divisão de fertilizantes da mineradora Vale. A Vale negou a informação de que pretende se desfazer de seus ativos de fertilizantes.

Consumo. As entregas de fertilizantes ao consumidor final atingiram, nos dois primeiros meses do ano, 4,248 milhões de toneladas, alta de 10,8%, na comparação com o mesmo o período de 2015, de acordo com a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

Do total de fertilizantes comercializados no período, o Estado do Mato Grosso, maior produtor nacional de grãos, concentrou o maior volume de entregas no bimestre analisado, totalizando 896 mil toneladas, seguido do Estado do Paraná, outro importante produtor, com 598 mil toneladas. Em seguida vêm Minas Gerais (575 mil toneladas), Goiás (526 mil) e São Paulo (483 mil).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.