YPF da Argentina vai retomar operações petrolíferas na Patagônia

A companhia de energia argentina YPF vai retomar sua operações em campos petrolíferos na região da Patagônia depois que trabalhadores concordaram em terminar uma greve que durou mais de duas semanas, disse a companhia no sábado.

KARINA GRAZINA E MAGDALENA MORALES, REUTERS

19 de dezembro de 2010 | 09h42

A disputa trabalhista forçou a YPF, da espanhola Repsol, a paralisar suas operações em diversos locais nas províncias da Patagônia de Chubut e Santa Cruz, colocando em risco o fornecimento de combustível no país.

"O conflito com o sindicato foi resolvido, o que nos permitirá a retomar as operações aos poucos in Chubut e Santa Cruz, depois de 17 dias de greve", declarou a YPF.

Os principais funcionários da YPF nas duas províncias começaram a greve para conseguir um aumento de salários. A companhia disse que por meio da mediação do ministro do trabalho, eles chegaram a um acordo com o sindicato, que levará eventualmente a um aumento de salários.

A YPF disse que incidentes violentos envolvendo os trabalhadores em greve a forçaram a paralisar as operações. Os manifestantes bloquearam uma instalação de armazenamento de petróleo cru utilizado por outras companhias de energia, incluindo a unidade local da norte-americana da Exxon Móbil, a Esso, que teve de reduzir suas atividades de refino.

Cerca de um terço dos 250.000 barris de petróleo produzidos diariamente pela YPF, a maior companhia de energia da Argentina, vêm dos campos afetados pelo conflito.

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAYPFRETOMADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • O Pix é seguro? Veja dicas de especialistas sobre o sistema de pagamentos
  • 13º salário: quem tem direito, datas e como a pandemia pode afetar o cálculo
  • Renda básica: o que é, quais os objetivos e efeitos e onde é aplicada

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.