Marcos De Paula|Estadão
Marcos De Paula|Estadão

Zaher busca recursos para fazer oferta pela Estácio

Segunda maior acionista da Estácio, família de Chaim Zaher teria assegurado empréstimos com bancos e se aliado a fundo asiático para fazer proposta

Reuters

28 Junho 2016 | 22h06

A família Zaher, segunda maior acionista da Estácio Participações, assegurou empréstimos bancários e se aliou a um fundo soberano asiático para fazer oferta pelo controle da segunda maior empresa de educação superior privada do País, disse uma fonte com conhecimento direto do assunto.

Segundo a fonte, Bradesco e Santander Brasil ofereceram à TCA Investimentos, veículo de investimentos da família, financiamento para a oferta.

Além do fundo asiático, outro investidor no Brasil também aceitou fazer parte da oferta dos Zaher, disse a fonte. O grupo liderado pela TCA apenas fará uma oferta pública se as propostas rivais pela Estácio apresentadas por Kroton Educacional e Ser Educacional não avaliarem a Estácio adequadamente, acrescentou a fonte.

Os Zaher, que detêm 14% na Estácio por meio da TCA e outros veículos, recusaram-se a falar sobre o tema. O Bradesco e o Santander Brasil não comentaram imediatamente.

A batalha pela Estácio tende a ficar mais feroz, com a Kroton considerando uma oferta hostil se necessário. A fonte também destaca a resiliência do setor educacional, mesmo com o País em meio à maior recessão em oito décadas e uma forte redução das vagas do Fundo de Investimento Estudantil (Fies).

A Estácio anunciou na véspera que a família Zaher, por meio da TCA, considera uma oferta em dinheiro para ter o controle de até 75% da empresa. Este mês, a Estácio nomeou Chaim Zaher, patriarca da família, como presidente-executivo.

Nesta terça-feira, 28, as ações da Estácio caíram 1,8% para R$ 16, mas acumulam alta de 18% no ano.

Oferta melhorada. De acordo com uma segunda fonte, que também está diretamente envolvida na transação, o conselho da Estácio tenderia a aceitar uma oferta melhorada da Kroton, a maior companhia de educação do mundo em valor de mercado.

A atual proposta da Kroton avalia em 1,25 papel de sua emissão para cada ação da Estácio. A fonte disse que a chance de ganhar o aval do Conselho aumentaria rapidamente se a Kroton subisse a oferta para algo entre 1,4 e 1,5 ação.

Os Zaher também considerariam uma oferta semelhante, disseram as fontes.

Segundo fontes, a oferta da Kroton pela Estácio é definitiva, e a companhia já teria assegurado apoio de mais da metade dos acionistas da Estácio – alguns dos quais também são investidores na Kroton.

Vários membros do Conselho da Estácio levantaram a questão de um potencial conflito de interesse entre alguns dos investidores cruzados.

De acordo com a primeira fonte, a Coronation Fund Managers enviou uma carta ao conselho da Estácio pedindo para a empresa aceitar os termos da oferta da Kroton. Um e-mail enviado à Coronation pedindo comentários não foi imediatamente respondido.

Se a oferta se tornar hostil, qualquer acionista que detenha 5% da Estácio pode pedir uma assembleia para disponibilizar todas as propostas para a companhia votar. A Ser Educacional também está tomando as providências para intensificar a disputa pela Estácio.

De acordo com a primeira fonte, a Ser planeja aumentar a porção em dinheiro de sua oferta numa nova proposta que será entregue à Estácio até quarta-feira. Na quinta-feira, expira o prazo dado pela Kroton para avaliação de sua oferta. 

Mais conteúdo sobre:
Bradesco Estácio Kroton Fies

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.