1ª plataforma focada nas necessidades das empresas conecta freelancers a mais de 150 contratantes

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de março de 2017 | 12h04

São Paulo - SP--(DINO - 22 fev, 2017) - Muitas empresas no país, especialmente nos mercados de comunicação e marketing, têm tido dificuldade em encontrar profissionais especializados que tenham, ao mesmo tempo, excelência na prestação do serviço e um bom preço. E para atender a outro anseio delas, que é de também transformar seus custos fixos em variáveis e ter a possibilidade de trabalhar com múltiplas equipes especializadas para cada tipo de tarefa, a melhor saída é contratar freelancers que atuem com profissionalismo e qualidade.

Porém, é aí que elas esbarram em outros dois problemas: como achar esse bom profissional e administrar as burocracias jurídica e trabalhista para contratá-lo? E foi justamente para preencher essas lacunas no mercado que nasceu a Crowd, uma comunidade virtual que reúne, de um lado, empresas que querem desenvolver projetos de comunicação e marketing com valor agregado, organização e soluções criativas e, do outro, profissionais altamente capacitados que gerenciam seu próprio tempo de trabalho, atuando no Brasil e no exterior com mais liberdade e qualidade de vida.

"Somos a primeira plataforma brasileira focada nas necessidades das empresas e em trazer mais profissionalismo para esse mercado, que ainda é muito informal no país. E diferentemente dos outros marketplaces de freelancers, somos uma verdadeira comunidade que aproxima contratantes e contratados e fornece uma ferramenta de gestão de mão de obra terceirizada", conta Gabriel Matias, fundador da empresa. Entre os clientes que já contratam pela Crowd, estão: Abril, Agência Tudo, Artplan, Edelman Significa, F&Q Brasil, Isobar, Jussi, NewStyle, Rae,MP, Salve, Sunset, VML e Wunderman.

Para Ricardo Longo, sócio-diretor da empresa, não faz mais sentido investir em uma estrutura fixa de profissionais, com altos custos e demandas cada vez mais variadas. "O formato de trabalho que acreditamos, que expande os limites profissionais para muito além de restrições trabalhistas, geográficas ou temáticas, é uma alternativa ao engessamento dos modelos tradicionais e deve impactar o mercado de marketing no Brasil", aposta.

Há três meses no ar, a plataforma já atende a mais de 150 clientes com mais de 4 mil profissionais cadastrados em categorias como designer, programador, redator, fotógrafo, jornalista, tradutor, mídia, planejamento e produtor de vídeo. As metas da Crowd são chegar ao final do ano com 1.200 empresas assinantes e 20 mil freelancers e a 2018 com 3 mil clientes e 80 mil profissionais, iniciando sua expansão internacional.

Como funciona a Crowd

A empresa contratante escreve o briefing do seu projeto na plataforma e solicita orçamentos para até dez profissionais selecionados por sua equipe. Após a escolha da melhor proposta, as tarefas são organizadas em etapas de execução, que são avaliadas, aprovadas e pagas pelo cliente assim que são concluídas. O prestador de serviço não tem custos para se cadastrar, apenas repassa uma porcentagem do valor dos trabalhos que faz pela plataforma. Já os contratantes podem aderir um dos planos de assinatura mensal para visualizar os perfis dos freelancers, suas avaliações e poder contatá-los. Mais informações pelo site crowd.br.com

Sobre a Crowd

No mercado desde 2013, a Agência Crowd inovou ao desenvolver 100% dos projetos para os quais é contratada por meio do crowdsourcing, com profissionais conectados por sua rede própria de colaboradores e coordenados pelos Líderes de Projeto que ficam na sede da agência, em São Paulo. Após três anos com um sistema até então exclusivo para a agência, no final de 2016 a Crowd passou a disponibilizar sua plataforma para outras empresas de comunicação e marketing, fazendo a intermediação jurídica e financeira das contratações.

Website: http://crowd.br.com

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.