A importância da educação física como componente curricular nas escolas

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

20 Dezembro 2016 | 11h51

Orlando, FL - Estados Unidos--(DINO - 20 dez, 2016) - Antes de você caro leitor iniciar este artigo, preciso ratificar que a Educação Física é uma disciplina obrigatória do currículo escolar e que apresenta características próprias, entretanto na escola é vista como uma disciplina complementar, como se fosse menos importante do que as demais lecionadas. Porém vamos começar lá pelo início, com Descartes.

Segundo Descartes o corpo é formado de matéria física e, por isso, tem propriedades comuns a qualquer matéria, como tamanho, peso e capacidade motora. Assim, as leis que regem a física, também regem o corpo humano. Por essa linha de raciocínio, Descartes observava que alguns robôs, na época criados para entreter as pessoas, tinham seus movimentos realizados através de canos por onde passava água sob pressão, fazendo com que as partes móveis dos robôs (pernas, braços e cabeça) ganhassem movimentos que imitavam o do ser humano.

Porém, percebeu que, mesmo parecendo um movimento humano, os robôs apenas se movimentavam por causa da água que circulava em seus tubos, não sendo resultado da ação voluntária da máquina. Assim, o ser humano é algo muito mais complexo do que movimentos, podendo executar ações independente de sua vontade.

A teoria da interação mente-corpo de Descartes precisou passar pela pesquisa sobre o ponto exato em que ocorre essa interação, antes de ser completada. Para ele, a mente era uma unidade e, por isso, deveria interagir com o corpo em um único ponto. Sua pesquisa o levou a acreditar que esse ponto era o cérebro, pois percebeu que as sensações viajavam até ele, onde surgiam os movimentos. A partir daí temos o início do entendimento da Educação Física, a disciplina que, certamente você que está lendo este artigo, já "matou" ao menos uma aula.

A princípio, a Educação Física era tida como um momento para a prática da ginástica, com a finalidade de deixar o corpo saudável. Após muitas reformas na própria ideia de Educação Física, atualmente ela é uma disciplina complexa que deve, ao mesmo tempo, trabalhar as suas próprias especificidades e se inter-relacionar com os outros componentes curriculares. Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), documento oficial do Ministério da Educação, a Educação Física na escola deve ser constituída de três blocos: Jogos, Ginásticas, Esportes e Lutas, Atividades rítmicas e expressivas e Conhecimentos sobre o corpo.

O primeiro bloco, "jogos, ginásticas, esportes e lutas", compreende atividades como ginástica artística, ginástica rítmica, voleibol, basquetebol, salto em altura, natação, capoeira e judô. O segundo bloco abrange atividades relacionadas à expressão corporal, como a dança, por exemplo. Já o terceiro bloco propõe ensinar ao aluno conceitos básicos sobre o próprio corpo, que se estendem desde a noção estrutural anatômica, até a reflexão sobre como as diferentes culturas lidam com esse instrumento.

A Ed. Física é a aula mais lúdica oferecida na escola. É nela que a criança cria, recria, pula, imagina, se diverte, corre, desenha, pinta, estimula-se o lúdico. E é este termo que melhor abrange e define as atividades desenvolvidas nas aulas de Ed. Física.

Quando estão brincando, as crianças não têm medo de errar processando seus conhecimentos. Brincar utilizando a música, as danças, às cantigas de rodas, poemas, lendas, historias, amplia o pensar sobre o mundo. Ajuda a formar os futuros cidadãos. Portanto, ao brincar, a criança utiliza suas estruturas cognitivas e coloca em prática ações que estimulam sua aquisição de conhecimentos. Brincando as crianças aprendem a cooperar com os companheiros, a obedecer às regras do jogo, a respeitar os direitos dos outros, a acatar a autoridade, a assumir responsabilidades, a aceitar penalidades que lhe são impostas, a dar oportunidades aos demais, por fim, a viver em sociedade.

Além da Ed. Física ser responsável pelo desenvolvimento motor, a atividade física também combate diversas doenças ligadas ao sedentarismo como a diabetes, a obesidade, doenças cardíacas, promove o fortalecimento de músculos e articulações, entre vários outros benefícios. O objetivo da Educação Física escolar é desenvolver espontaneidade em diversas situações e o desenvolvimento orgânico e funcional, atribuídos a Ed. Física, melhoram os fatores de coordenação e execução dos movimentos.

A Educação Física tem uma vantagem educacional que poucas disciplinas têm: o poder de adequação do conteúdo ao grupo social em que será trabalhada. Esse fato permite uma liberdade de trabalho, bem como uma liberdade de avaliação ? do grupo e do indivíduo ? por parte do professor, que pode ser bastante benéfica ao processo geral educacional do aluno.

Escrevo buscando acrescentar algo na formação dos profissionais que atuam na educação física escolar, para que tratem a disciplina com atenção e respeito, transformando-a em uma disciplina respeitada pelos alunos e corpo escolar, que não seja só a hora da diversão, mas da aprendizagem e do desenvolvimento psicomotor, socioafetivo e cognitivo-moral.

Autor: Paulo Franco, Professor de Educação Física formado pela Universidade Católica de Salvador, especialista em Futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.