Arie Halpern: smartphones modulares podem revolucionar mercado de celular

(DINO - 26 jan, 2017) - Atualmente, 2,6 bilhões de pessoas ao redor do mundo possuem um celular. Com um número tão grande de usuários, a corrida agora é para ver quem sai na frente e desenvolve o próximo modelo de sucesso. Uma novidade que está despontando são os smartphones modulares, que trazem a promessa da versatilidade que falta aos smartphones "normais", permitindo que cada usuário ajuste o aparelho às suas necessidades, sem se prender a configurações fixas estipuladas pelo fabricante. Na avaliação do economista e empreendedor com foco em inovação e tecnologias disruptivas Arie Halpern, smartphones modulares deverão crescer este ano no mercado, com novos modelos e peças para o usuário montar seu próprio celular.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

26 de janeiro de 2017 | 15h22

O primeiro a introduzir o conceito no mercado foi o Google com o seu projeto Ara, em 2013. O usuário compraria um smartphone básico, com configurações padrão e, cada vez que quisesse melhorar uma dessas configurações, ele compraria a peça específica e a acoplaria ao dispositivo base. Por exemplo, para tirar fotos melhores, o usuário compraria o módulo de uma câmera melhor para encaixá-lo no smartphone, melhorando as configurações do aparelho. Mas o projeto não deu certo e foi cancelado em setembro do ano passado. Nenhuma justificativa para o cancelamento foi dada pela empresa.

As outras empresas não se intimidaram com a capitulação do concorrente e, em 2016, a Motorola lançou Moto Z Force, o smartphone modular que mais fez sucesso no mercado até agora. O modelo permite adicionar ao celular básico um alto-falante, uma bateria extra e até mesmo um projetor. O preço ainda é bem salgado para os consumidores, chegando a US$ 720, o mesmo valor de um iPhone 7. Além da sua adaptabilidade, uma das vantagens do modelo, é que ele é um dos smartphones mais finos que já lançados no mercado. A LG também colocou no mercado seu dispositivo modular, o G5. As partes extras desses modelos podem custar entre US$ 7 e US$ 15.

Ainda não há como saber se modelo de smartphone vai cair no gosto do consumidor e se tornar objeto de desejo. "A ideia de se adaptar um celular é atrativa, mas ainda é mais prático e barato comprar um celular que já vem pronto", diz Arie Halpern.

Website: http://www.ariehalpern.com.br

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.