Auditando Sistemas de Gestão em um contexto ? interno e externo ? cada vez mais complexo

Porto Alegre / RS--(DINO - 17 fev, 2017) - O atual cenário traz profundas mudanças, instabilidades e incertezas ao cotidiano, em todos os campos, seja pessoal, organizacional, social ou tecnológico, para abordar apenas alguns.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

17 de fevereiro de 2017 | 16h54

Hoje, a chamada sociedade do conhecimento, dentre as diversas questões relacionadas com o comportamento humano e coletivo, está começando a introduzir essencialmente um novo foco para as organizações: da força física para o poder da mente, do capital financeiro para o "capital" intelectual, do homem extrativista para o ser integrado com a natureza.

Atualmente, é usual se definir uma organização como um organismo vivo, ou seja, que interage com o mundo externo e interno. A complexidade das organizações aumenta à medida que procuramos compreender as diferentes áreas / processos que - tanto em teoria quanto na prática - deveriam se intra e inter-relacionar.

Neste contexto, surgem enormes desafios não somente para indivíduos, mas também para as organizações. Como estabelecer padrões (de comportamento e de decisão) em um ambiente que muda tanto e com tanta frequência?

Mais do que isso, como auditar o Sistema de Gestão de uma organização com tal grau de complexidade?

Existem diversas disciplinas que podem e devem ser combinadas para permitir que Auditores de Sistemas de Gestão (sejam internos ou externos) possam aportar maior valor à organização auditada, ao realizarem um diagnóstico mais aprofundado, abordando temas e questões não tão facilmente perceptíveis, como cultura, processo de tomada de decisão, comprometimento e apetite a risco, para citar algumas.

Cada vez mais, a adoção de Normas Internacionais para balizar o Sistema de Gestão das organizações se expande. Com esse movimento, surge a necessidade ? cada vez maior ? de auditores competentes para avaliar com a necessária profundidade Sistemas que estão se tornando cada dia mais complexos.

Isso sem falar das disciplinas auditáveis segundo as Normas ISO, que ? inicialmente voltadas a temas como Qualidade e Meio Ambiente ? hoje alcançam temas como gestão de riscos, gestão da continuidade dos negócios, compliance e antissuborno.

Complexidade não significa algo "complicado", mas apenas algo que possui tantas interações que diversos fenômenos organizacionais podem escapar a uma análise menos detida. E o risco de uma auditoria que não capte, não compreenda adequadamente tais fenômenos é altíssimo.

Este desafio deve estar permanentemente a preocupar Auditores de Sistemas de Gestão: estou ? de fato ? conseguindo compreender a essência desta organização? Ou estou apenas percebendo o que há de superficial em suas operações?

A ATSG ? Academia Tecnológica de Sistemas de Gestão programou um programa denominado "Auditor Camp" com dois dias de duração e focado no desenvolvimento das competências necessárias aos Auditores de Sistemas de Gestão para que estejam melhor preparados para avaliar organizações em ambientes complexos. O Auditor Camp vai ocorrer nos dias 11 e 12 ABR 2017, em São Paulo ? SP. A ATSG é um Organismo de Treinamento Reconhecido pelo RAC ? Registro de Auditores Certificados com amplo escopo de atuação, que inclui as Normas ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 31000, ISO 22301, ISO 19600 e ISO 37001.

Website: https://www.atsg.digital/

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.