Brasileiro frequenta média de 4 shows por ano e busca por experiências únicas

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

20 de dezembro de 2016 | 13h59

São Paulo--(DINO - 20 dez, 2016) - A Eventbrite, plataforma líder global em tecnologia para eventos realizou em todo o Brasil o estudo: "Perfil dos fãs de música: tendências e previsões para 2017". O levantamento traz informações importantes sobre essa indústria e mostra que cada vez mais as pessoas unem a tecnologia às experiências ao vivo. Os dados também indicam que, apesar da crise, as pessoas estão dispostas a aumentar a frequência neste tipo de evento no próximo ano.

A Eventbrite, empresa com mais de 10 anos de experiência no mercado e um portfólio de milhões de eventos criados em sua plataforma, ouviu mais de 200 promotores e produtores especialistas no mercado de música, para encontrar insights valiosos e ditar as tendências que irão regir essa indústria no ano que vem.

De acordo com a pesquisa, os participantes de eventos deste segmento querem experiências únicas e diferenciadas. Este foi o ponto visto com mais frequência nos eventos que obtiveram sucesso no mercado em 2016.

A explicação para esse movimento é que os eventos que trazem novidades como artistas line-up e atrações diferentes, como as culturais, atraem mais o público, assim como os que oferecem mais de uma opção de entretenimento no mesmo evento.

Alguns segmentos dessa indústria foram afetados pela forte crise que teve ascensão neste difícil ano para a economia do país. Entretanto, a pesquisa aponta que as pessoas querem ir mais a eventos relacionados à música, 90% dos entrevistados afirmou que pretende aumentar ou manter a frequência em eventos desse tipo nos próximos 12 meses.

A Eventbrite constatou também que aproveitar a tecnologia para unir as pessoas em experiências é imprescindível. A informação, no entanto, não é nova para a Eventbrite, que já havia observado a tendência com os anos de experiência e a parceria da integração exclusiva no Brasil com o Facebook, que permite a criação de eventos oficiais na rede social por meio da plataforma.

"A principal tendência que vemos com esse estudo é a questão das experiências únicas. Os produtores que têm criado esses eventos e que têm se apoiado na tecnologia, principalmente as redes sociais, como aliadas na divulgação e durante o evento, têm alcançado mais sucesso. Se você oferece o que as pessoas gostam e utiliza o potencial já comprovado das redes sociais para se comunicar com seu público, o caminho do sucesso será mais curto. A Eventbrite viu bastante isso acontecer em 2016, produtores e agências que eram pequenos, cresceram neste ano seguindo essa estratégia", afirma o Country Manager da Eventbrite Brasil, Hugo Bernardo.

Os dados da pesquisa também mostram que o brasileiro frequenta em média 4 shows por ano e a expectativa é que esse número cresça em 2017. Além da programação do festival e a busca por uma experiência única, o custo e a presença dos amigos também contam - e muito - no momento da escolha. Vale ressaltar que 66% dos entrevistados afirmaram convidar os amigos para irem ao mesmo evento e, quando lá, 72% usam as redes sociais.

Sobre as programações mais interessantes, os eventos que mais têm atraído pessoas são os de música sertaneja, que têm a preferência de 28% dos participantes, seguidos pelos shows de Rock (13%) e de MPB (12%).

Confira os principais dados da pesquisa:

Streaming e a mídia tradicional são os canais favoritos para descobrir novidades sobre música

Os canais preferidos do brasileiro para buscar novidades sobre música são os aplicativos de streaming, tais como Spotify, Deezer, Soundcloud, Youtube e Vimeo (39%). Em segundo lugar, aparece a mídia tradicional (rádio, TV ou rádio por satélite) com 24% da preferência e, por último, (18%) posta nas mídias sociais de amigos ou membros da família.

O público também diz que, quando não pode ir ao show, gosta de ver o evento ao vivo pela internet (streaming ou transmissão simultânea), 58%. O que pode ser um indicativo de investimento para quem atua com esse mercado.

No momento de fazer o check-in nos eventos, o uso das pulseiras foi apontado como o melhor passe de entrada, e na hora de consumir dentro do local do show, quase metade dos entrevistados (44%) prefere pagar pela consumação em dinheiro, depois com cartão de crédito (29%), e por último com débito (26%).

Marcas patrocinadoras estão nos radares do público

Como já era se esperar com o cenário da crise, os produtores que foram entrevistados pela Eventbrite apontaram como uma de suas principais dificuldades a conquista e atração de patrocinadores.

Segundo o estudo, 62% do público nota a presença das marcas em eventos, mas para agradar os participantes é preciso fazer muito mais do que estampar a logomarca e entregar brindes. A maioria do público (49%) afirmou que as empresas patrocinadoras são mais lembradas quando oferecem comidas e/ou bebidas gratuitas ou quando disponibilizam acesso à conexão de internet Wi-Fi.

*A pesquisa foi realizada em outubro de 2016 nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Norte, Pará, Goiânia e Distrito Federal. Ao todo, foram entrevistadas 1.024 pessoas, entre 18 e 45 anos.

Website: https://goo.gl/A6becg

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.