Cartões de visita devem se adaptar à era digital

Belo Horizonte (MG)--(DINO - 17 fev, 2017) - A proliferação de tecnologias de informação está ocorrendo em ritmo avançado. O mercado está presenciando a tentativa de substituição do papel e caneta pelas telas de touchscreen, que, com alguns cliques, é capaz de conectar as pessoas com diversas plataformas, obtendo comunicação com rapidez e segurança. Com tamanho avanço tecnológico, inúmeras ferramentas caminham para o desuso. No entanto, existem objetos e funções que ainda não podem ser substituídos, e sim reformulados.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

17 de fevereiro de 2017 | 10h40

Os cartões de visita são um grande exemplo da permanência do papel impresso no cotidiano do mercado de trabalho e o fato de prosperarem na era digital é uma prova da sua atemporalidade. O avanço da virtualização demanda a construção de uma relação de confiança, levando gestores a reforçar laços que se formaram por meio da internet. Devido à grande concorrência, é essencial possuir um cartão de destaque no ambiente corporativo, que colabore na formação de um vínculo duradouro entre o prestador de serviço e o seu cliente.

As tentativas de reinventar os cartões de visitas para a era digital têm se espalhado e, visando a união da comodidade e agilidade que a internet é capaz de fornecer com a necessidade do produto, o designer mineiro Ton Rangel, juntamente com Thiago Franco, Ligia Franco, Diego Rangel e Vittório Torchetti, criaram o aplicativo Ecard. O app possui três grandes funções: a primeira delas é conectar o usuário a um designer profissional para a criação do layout dos cartões de visita e, com uma equipe de excelência no mercado criativo, tornar-se possível a elaboração de um design exclusivo. A segunda é a produção dos cartões, que, a partir de parceria com as maiores gráficas do país, é disponibilizado um arsenal de cores, texturas e formatos para garantir a individualidade e o diferencial do produto, que pode ser entregue em domicílio ou na empresa, facilitando a relação com o cliente.

A terceira função, para um futuro próximo, será de natureza sustentável, pois a criação de uma rede de compartilhamento mobile de cartões de visita é o foco do empreendedor. "A partir de pesquisas e visitas realizadas desde a criação do projeto, constatamos que, em média, 5 milhões de cartões de visitas são impressos diariamente na capital mineira. A proposta central é reduzir essa produção para 50% em até cinco anos, fato que, de acordo com a Abraf (Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas), representará a conservação de aproximadamente 15 hectares de florestas plantadas, o equivalente a mais de 1,5 milhão de metros quadrados de mata nativa preservada por ano, considerando apenas a produção na capital mineira.", afirma Ton.

O aplicativo promete ser o novo cartão de visitas digital e já foi avaliado positivamente por mais de 500 usuários. O download já está disponível para Android e, em breve, para a plataforma iOS.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.