Como o Retrofit pode reduzir os gastos com o consumo de energia nas instituições de ensino?

São Paulo, SP--(DINO - 16 fev, 2017) - Com o tempo, a deterioração do sistema elétrico e de iluminação é inevitável. O problema é quando esses conjuntos obsoletos ficam fora das instruções normativas estipuladas e promovem o alto desperdício de energia. Nesses casos, a opção mais adequada é modernizar o complexo sem alterar a estrutura, ou seja, fazer um retrofit.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de fevereiro de 2017 | 16h18

Muito utilizado na área de arquitetura e construção, o retrofit é comum no processo de revitalização de edifícios. A prática consiste na readequação das instalações existentes com o objetivo de corrigir os problemas provocados pelo longo tempo de uso nas instituições de ensino, como as universidades.

O procedimento é realizado em diversas etapas, que incluem desde os diagnósticos e propostas de alterações, até mensuração dos resultados obtidos.

Nas etapas para a definição de um diagnóstico são analisados:

- Os equipamentos utilizados (tipos de luminárias, lâmpadas e reatores) e das cargas de iluminação: potência instalada e tempo de uso de cada ambiente da instalação para estimativa da demanda e consumo de energia.

- A densidade de potência de cada ambiente (W/m2). Ambientes com densidade de potência elevadas possuem maior potencial de economia de energia.

- Medição dos níveis de iluminação dos ambientes e comparação com os níveis recomendados pela norma NBR 5413 ? iluminação de interiores.

Após essas análises, é elaborado um projeto do novo sistema de iluminação, considerando-se a possibilidade de substituição dos equipamentos existentes por equipamentos mais eficientes. Deve-se verificar a necessidade de redução ou aumento da quantidade de pontos de luz ou potências instaladas por ponto para adequação dos níveis de iluminância.

Também é definido um plano de manutenção do novo sistema de iluminação, incluindo periodicidade de limpeza dos equipamentos e substituição programada de lâmpadas e reatores conforme vida útil do sistema. Tal passo é importante para garantir que o nível de iluminância recomendado para o ambiente continue sendo atingido.

O próximo passo é fazer a análise da nova potência instalada do sistema proposto versus a potência instalada originalmente e o cálculo da economia de energia do sistema considerando o consumo mensal ou anual dos sistemas novo e antigo e cálculo do retorno do investimento.

Outro aspecto importante é que o método não visa apenas a economia, mas também a adequação às normas exigidas por órgãos como o Corpo de Bombeiros, Ministério do Trabalho e o Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru). Quem opta por um serviço de segunda linha coloca em risco a licença de funcionamento e, consequentemente, a segurança das pessoas que estudam e trabalham no local.

Para evitar esse tipo de problema, é importante contar com especialistas capacitados que tenham alto nível de conhecimento. Assim, as alterações propostas resultarão em economia e maior qualidade de iluminação.

Com expertise em Retrofit, a Best Company Engenharia, através dos seus fornecedores e parceiros homologados e atendendo as normas vigentes, oferece soluções completas em infraestrutura e instalações elétricas de baixa e média tensão, para os mais variados tipos de negócios.

Também atua na produção dos mais diversos laudos, diagramas, estudos e elaboração de relatórios oriundos da área da Engenharia Elétrica, oferecendo aos seus clientes, um completo conhecimento de suas instalações e planos de ações claros para adequação e modernização de sua infraestrutura.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.