Como saber se você está superendividado

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

20 Dezembro 2016 | 15h32

São Paulo, SP--(DINO - 20 dez, 2016) - Você tem dívidas que somam mais da metade do orçamento mensal da casa? Está com seu nome sujo na praça? Nunca sobra dinheiro para uma simples viagem de lazer? Está sempre pedindo dinheiro emprestado para os conhecidos? Se a sua resposta é "sim" para pelo menos uma dessas perguntas, então você pode estar superendividado.

O que é superendividamento?

Superendividamento é quando a pessoa física, de boa-fé e consumidor não possui possibilidade de sanar todas as dívidas que possui dentro de um prazo razoável e usando apenas a sua renda. Uma pessoa quando está superendividada, geralmente possui empréstimos em duas ou mais instituições financeiras. Então, você está superendividado se enquadrar nessas condições.

Você está superendividado?

É completamente normal termos algum tipo de dívida, afinal, a maior parte dos brasileiros só conseguem a casa própria ou o veículo se optar pelo financiamento. Além disso, ainda muitos têm contas com carnês, cartão de crédito, faculdade, entre outras que fazem parte do cotidiano.

Conforme dados da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, realizada no mês de março desse ano, a crise no país afetou muitas famílias e isso representa uma crescente lista de inadimplentes. A pesquisa mostrou que, de 23,5% dos devedores, 8,3% não têm qualquer condição de sanar as dívidas.

O maior vilão para a maioria das famílias é o cartão de crédito, já que sozinho soma 77,3% do saldo devedor mensal. Atrás, vem os carnes com 16,7%, seguido pelo financiamento de carro ou casa com 12% e por último, não menos comum, o financiamento pessoal que atinge um índice de 10,8%.

Como regularizar minhas "super" dívidas

A primeira coisa que um superendividado deve fazer é procurar os seus credores e renegociar as suas dívidas. Depois de entender as taxas que lhe são cobradas, o devedor precisa negociar uma linha de crédito mais em conta, centralizando o valor das dívidas em um só fluxo. Outra coisa é cortar todos os gastos desnecessários.

Tendo uma visão sobre o real valor das dívidas, o superendividado deve fazer uma lista com as contas básicas e primordiais, como água, telefone, luz, alimentação, moradia e transporte. Incluindo essas despesas, o consumidor brasileiro precisa considerar apenas 30% do seu orçamento voltado às despesas.

É essencial que o superendividado mantenha uma educação financeira, planejando detalhadamente as suas próximas compras. Outro ponto é manter controle sobre a compulsão por compras, principalmente quando houver a opção de crédito fácil. Sem contar que a publicidade é um grande atrativo para fazer com que os consumidores percam o controle sobre suas dívidas.

Para não ser ou deixar de ser um superendividado, basta manter a disciplina financeira. Com uma boa orientação você conseguirá retomar a sua vida financeira positivamente.

Artigo publicado com exclusividade no site Empréstimo

Website: http://www.emprestimo.org

Mais conteúdo sobre:
ReleasesSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.