Como tornar a volta às aulas mais agradável

São Paulo, SP--(DINO - 23 jan, 2017) - Com o fim das férias e início de mais um ano letivo, chega finalmente o momento de os estudantes voltarem às aulas.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

23 de janeiro de 2017 | 10h50

O reencontro com os amigos e os novos conhecimentos podem animar uma parte dos alunos, entretanto, para outros, isso pode ser um grande problema.

Além de enfrentar o desafio de um novo ano e avançar mais uma etapa em seu aprendizado, o estudante pode se deparar com outras situações que podem deixá-lo inseguro, como uma turma diferente ou uma escola nova.

Mesmo com atividades próprias para promover a interação, o jovem pode sentir dificuldades em interagir com outros em uma nova escola, principalmente se seus colegas já se conhecem.

Neste caso, a dica é tentar puxar assunto com um ou outro aluno, perguntando se já conhece a escola e se gosta dela, por exemplo.

"Geralmente o diálogo se estabelece espontaneamente", afirma a psicopedagoga Luciana Barros de Almeida, presidente da http://www.abpp.com.br/ Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp). "Caso não ocorra, faça outras tentativas de ir conversando com diferentes pessoas até que encontre alguém que vai se interessar por saber sobre quem ele é e do que gosta".

Caso o aluno esteja na mesma escola, o que pode ocorrer é ele ficar em uma turma diferente da de seus amigos.

Mesmo nesta situação, é possível manter os antigos colegas por perto encontrando-os no intervalo, por exemplo. Porém, é importante que o estudante estabeleça laços em sua nova turma.

"Tente fazer alguns amigos na sala atual para que você tenha alguém para conversar", aconselha a psicopedagoga Cynthia Wood, da clínica http://www.crescendoeacontecendo.com/ Crescendo e Acontecendo. "Por mais que ache que não tem afinidade com eles, se prestar atenção, com certeza achará alguém que tenha algo em comum com você".

Outra situação bastante recorrente envolve o aluno que repete de ano. Neste caso, o melhor a se fazer é mudar a forma de levar os estudos.

"Deve-se buscar o novo e não apenas repetir, ou seja, buscar diferentes de modos de fazer algo que já se fez anteriormente e não funcionou", explica Luciana. "Por isso, é preciso conscientizar-se de que é necessário ter novas atitudes em busca de superar barreiras".

"Não é nada legal ter que estudar tudo de novo e se separar dos amigos", comenta Cynthia. "Pense que a reprovação foi consequência de más escolhas que fez durante o ano: aqueles trabalhos que você não deu importância ou aquelas provas para as quais não estudou o suficiente".

Outra situação que exige uma mudança de atitude são os casos de bullying.

Após o atendimento terapêutico da vítima, a fim de minimizar os danos e resgatar sua autoestima, ela deve deixar o passado para trás e não deve temer e se isolar do resto dos colegas.

"É normal sentir-se insegura, mas evite a todo custo se fechar. Se você é tímida, não precisa chegar puxando papo. Basta sorrir e responder com boa vontade ao que perguntarem", diz Luciana.

Associação Brasileira de Psicopedagogia, ABPp

Luciana Barros de Almeida - Presidente

Rua Teodoro Sampaio, 417 - Pinheiros, São Paulo

Tel. (11)3085 7567

abppfaleconosco@gmail.com

Clínica Crescendo e Acontecendo

Cynthia Wood

Rua Nilza Medeiros Martins, 187A - Vila Sônia - Morumbi/SP

Tel. (11) 4113-2761 / 9.8546-2800

crescendoeacontecendo@gmail.com

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.