Criolipólise ganha nova tecnologia que promete revolucionar o mercado

Ribeirão Preto-SP--(DINO - 19 jan, 2017) - O mercado de estética está sempre buscando novas tecnologias para levar ao paciente o melhor resultado possível no tratamento. A criolipólise é um dos métodos de tratamento que mais cresce no país e com a chegada da ponteira de manípulo 360º promete aprimorar o tratamento e potencializar resultados.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

19 de janeiro de 2017 | 11h24

Desenvolvida pela Adoxy Medical para a plataforma Asgard de criolipólise, o manípulo 360º proporciona resultados em menos tempo após a primeira sessão. A nova ponteira também possibilita uma melhor distribuição da crioterapia na área tratada e evita que aconteça perda de temperatura para o ambiente externo.

Para Valter Camello Junior, diretor da Criolipólise Brasil, a chegada do manípulo 360º traz uma nova perspectiva de mercado para os profissionais da área. "Os pacientes buscam sempre novidades para seu tratamento. A chegada da ponteira 360º é uma inovação que vai causar mudanças no mercado da criolipólise e de estética em geral, fazendo com que outros setores procurem novas tecnologias para seu negócio. Além da inovação, o novo manípulo trará mais adeptos ao tratamento e potencializará resultados".

Sobre a Criolipólise Brasil: há 4 anos no mercado de estética, a Criolipólise Brasil foi pioneira na locação de equipamentos de criolipólise na região de Ribeirão Preto. Atualmente, trabalha com um portfólio de equipamentos que vão além da criolipólise, sendo capaz de suprir quaisquer necessidades tecnológicas de clínicas de estética. Também realiza trabalhos de consultoria para médicos, fisioterapeutas, esteticistas e profissionais da saúde. Entre suas máquinas estão a Power Shape, I-Lipo, Light Sheer - Depilação a Laser, Etherea - Luz Pulsada, Asgard Criolipólise (lançamento). A Criolipólise Brasil busca excelência no atendimento e expansão no mercado.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.