E-commerce brasileiro registrou queda de preços no setor de moda e acessórios

São Paulo - SP--(DINO - 20 fev, 2017) - De acordo com índice FIPE Buscapé, o e-commerce brasileiro registrou uma queda nos preços, após 21 meses seguidos em alta. A baixa nos preços dos produtos comprados em varejo online, foi de 2,01% em dezembro de 2016, em comparação com o mesmo período de 2015. As maiores quedas aconteceram nos setores de telefonia (9,71%), moda e acessórios (5,35%) e eletrônicos (2,77%).

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

20 de fevereiro de 2017 | 16h04

Ainda assim, mesmo durante os 21 meses de alta, o comércio eletrônico foi o que menos sentiu impacto da crise econômica. De acordo com o indicador Mastercard, em novembro de 2015, o crescimento do comércio eletrônico chegou a 20,4%, impulsionado pela Black Friday. No Natal, o varejo online brasileiro continuou a crescer, obtendo um aumento de 3,8% em comparação com as vendas registradas no ano anterior, com gastos que ultrapassaram a marca dos R$ 7 bilhões.

No Brasil, o e-commerce ganhou força principalmente no setor de moda e acessórios, que apesar da crise econômica e da retenção de gastos do consumidor, continuou a apresentar bons números. Segundo a docente do curso de moda do Senac Penha (SP), isto deve ter ocorrido devido ao fato de que os brasileiros perderam o medo de realizar compras pela internet. Além disso, o baixo investimento que o negócio online requer também impulsiona o avanço do segmento.

Apesar do cenário vantajoso, ainda existem desafios. A grande sacada do varejo online é sempre estar em dia com o desejo do consumidor e as tendências de mercado. Para quem investe no segmento de moda e acessórios, também necessita conhecer boas práticas de atendimento e logística.

Arriscar-se no formato de comércio online, significa ter custos mais baixos em comparação com investimentos que incluem um local físico e até mesmo a contratação de mão de obra, uma vez que os e-commerces não demandam a necessidade de um ambiente literal para receber os consumidores.

Tendo em vista as vantagens do e-commerce, o setor de moda e acessórios online, espera receber novos investidores para a continua ascensão. O objetivo é superar o ano de 2016, criar novos canais de venda, uso de tecnologia, agilidade na absorção de tendências e rapidez nas entregas, tudo para atrair mais consumidores.

O baixo custo do e-commerce e o aumento do consumo de moda e acessórios, também são oportunidades para novos empreendedores, que desejam investir. Os mesmos podem revitalizar um negócio que já existente ou criando seu próprio negócio online. A boutique online We Love Webshops tem realizado uma colaboração com marcas famosas de moda e acessórios. Os usuários do site podem acessar a estas lojas e navegar por outras categorias da boutique online, que varia bastante, passando por moda e acessórios, até comidas, bebidas, viagens e mais.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.