Elasticsearch é opção inteligente para otimizar o tempo na busca corporativa

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

14 de dezembro de 2016 | 17h35

(DINO - 14 dez, 2016) - Você sabia que 25% do tempo dos colaboradores de empresas que trabalham com grandes quantidades de dados é gasto buscando informações e grande parte do tempo é desperdiçado com buscas sem sucesso e recriando documentos. O resultado desse cenário são 95 dias de trabalho ao ano por colaborador gastos em busca. Quem faz o alerta é o diretor da E-storage, Eduardo Guimarães.

A empresa, que é especializada em busca corporativa, foca na implantação de soluções que proporcionem maior e melhor aproveitamento do tempo. As tecnologias existentes hoje já são eficientes na busca corporativa aliada à produtividade.

Uma dessas soluções se chama Elasticsearch, plataforma criada pela norte-americana Elastic e trazida para o Brasil pela equipe de Guimarães. A solução é um motor de busca e análise de código aberto, projetado para combinar a velocidade de busca com o poder da análise através de uma linguagem de consulta sofisticada e amigável que cobre dados estruturados, não estruturados e de séries temporais.

"A Elasticsearch nasceu como uma plataforma de busca corporativa e, hoje, oferece uma série de possibilidades. O coração da plataforma são os dados, os quais podem ser explorados a fim gerar insights que viabilizam tomadas de decisões e ações práticas. A Elastic está rompendo barreiras na forma de construir e manter um negócio em cima de uma tecnologia open source, com serviços e produtos interdependentes", explica Guimarães.

Apesar de ser uma plataforma que não encontra dificuldades em ter inúmeras finalidades, a Elasticsearch tem enfrentado barreiras em ser compreendida pelo mercado, mesmo com o crescente sucesso no mundo todo.

"Os produtos da Elastic estão presentes nas músicas que ouvimos no Spotify, no Uber que nos leva para casa, nos seriados que assistimos na Netflix e nas notícias que lemos nos principais portais de notícias do país, além de ser a peça chave de diversas outras aplicações das mais variadas indústrias", diz.

Para explicar o poder da plataforma de uma forma ainda mais prática, o diretor cita o exemplo de uma aplicação para buscar informações no Twitter. Para ter insights específicos baseados em tweets, é preciso compreender quais os dados que compõe um tweet: 140 caracteres, horário, data, usuário, localidade, além de muitos outros.

"Sabendo disso, ao construirmos uma aplicação em cima do Twitter utilizando o Elasticsearch podemos, por exemplo, buscar tweets sobre "imposto de renda" nos meses de dezembro e janeiro no estado de São Paulo, pois todas essas informações estão armazenados na estrutura de dados do Twitter. O próprio Facebook processa 60 milhões de consultas diariamente", acrescenta.

Outros nomes importantes como a empresa Ebay não abrem mão da subscrição da Elastic, que tem um aspecto único e mais um detalhe fundamental: cada cliente terá os mesmos engenheiros da Elastic dedicados ao seu projeto durante todo o período. A cada interação, um especialista que já conhece o ambiente e projeto do cliente ficará responsável por esse atendimento.

"Se algo não funciona, é necessário arrumar, e rápido. Mas a subscrição da Elastic não existe somente para resolver problemas de suporte técnico, seu papel inclui acelerar a curva de aprendizagem da equipe do cliente, ajudar a montar uma arquitetura que vai garantir bom desempenho, ajudar a tirar o máximo proveito do Elastic Stack, reduzir o tempo do projeto e reduzir os riscos, atualizar versões com segurança sem impacto no projeto e mais", revela.

Guimarães acredita que o mercado já entendeu que a acessibilidade desse sistema merece destaque, pois descarta a necessidade de um profissional especializado na busca corporativa, permitindo que todos os colaboradores tenham condições de realizar as pesquisas.

"Imagine que o volume de dados armazenados pela sua empresa aumente cerca de seis vezes em um curto período de cinco anos. De que forma a busca por documentos arquivados no primeiro ano de empresa poderá ser realizada? Quanto tempo o colaborador gastará para finalizar esse processo? Dados da Forrester Research revelam que o volume de dados cresce 61% ao ano nas organizações, ou seja, a busca corporativa já é uma necessidade inegável", diz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.