Empresários, preparem-se para 2017, o ano da ação

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

20 de dezembro de 2016 | 13h58

São Paulo - SP--(DINO - 20 dez, 2016) - Levante a mão o empresário que não sabe a importância do planejamento para o sucesso do negócio. Seja para o lançamento de um produto ou a simples rotina da semana, planejar o que deve ser feito é fundamental.

Mas há o outro lado da moeda desse comportamento empreendedor: perder-se em planejamentos infinitos e não colocar em prática o que foi estudado e desenhado. Aliás, esse tipo de atitude (ou não atitude) é mais comum do que se imagina e é responsável por boa parte de não se atingir as metas desejadas.

É um comportamento que tem inclusive nome: procrastinação, ou adiar a ação. Muito empresário procrastina porque considera que seu planejamento ainda não está perfeito: precisa estudar mais sobre a concorrência, entender melhor o mercado, conhecer mais a fundo o seu público, desenvolver um pouco mais o produto.

São muitas as variáveis de um planejamento, mas uma coisa é inegável, o perfeito é inimigo do feito! O mundo está mudando cada vez mais rapidamente, os mercados são voláteis, vivemos em tempos líquidos. Planejar é muitíssimo importante, mas executar deve ser a fase principal do projeto.

Segundo Denise Maia, especialista em social business da DMS e pós-graduada em Marketing pelo IBMEC, o próximo ano será de muitos desafios para quem tem seu próprio negócio: as previsões são de redução do crédito e crescimento da inflação. "Será um ano de ajustes, e devemos manter o otimismo que nos faz acreditar no sucesso de nosso negócio todos os dias, mas no ano de 2017 a palavra de ordem é AÇÃO", enfatiza Denise.

A especialista elencou algumas dicas para ajudar a colocar seu plano estratégico em prática.

1. A primeira coisa a se fazer é estabelecer uma meta, e ela deve ser SMART (eSpecífica, Mensurável, Atingível, Relevante e Temporizável).

2. Reúna seu time e apresente o plano de metas. Tenha certeza de que todos entenderam o que deve ser feito, especialmente o seu time comercial, e estabeleça metas individuais. Assim, todos se comprometem com a ação.

3. Programe reuniões periódicas para revisão das metas. Seu plano não vai estar perfeito nunca, mas você tem a chance de fazer pequenas correções ao longo do tempo.

4. Faça um plano de prospecção sólido e realista. Não adianta imaginar que você terá 10 reuniões agendadas por semana se você faz 10 contatos por semana (a média do mercado é de 20% de sucesso, mas você precisa encontrar o número da sua equipe).

5. Trabalhe a favor do seu cliente. Hoje o processo de venda é cada vez mais consultivo. O consumidor quer trabalhar com quem resolve o problema, e não com quem simplesmente vende um produto ou faz um serviço. O cliente precisa reconhecer que você é relevante para a solução que ele procura.

6. Use as redes sociais a seu favor. Uma excelente ferramenta para tirar seu plano de prospecção do papel são as redes sociais, saiba como usá-las a seu favor. Trabalhando com constância e consistência, é possível obter resultados mais efetivos do que com métodos tradicionais, como ligações e visitas. Utilizar o Linkedin, por exemplo, potencializa as ações e encurta o ciclo de fechamento de negócios.

"Planejamento é importante sim, mas é preciso tirar as ideias do papel. De nada adianta ter um plano perfeito, se ele não for executado", esclarece Denise Maia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.