Fundação Siemens e Instituto Sabin se unem pela educação infantil

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de março de 2017 | 00h04

Brasília-DF--(DINO - 06 mar, 2017) -

A Fundação Siemens firmou uma parceria com o Instituto Sabin para aumentar o alcance do Projeto Experimento, programa que tem o intuito de estimular em crianças o interesse pela ciência. O Instituto vai levar o projeto, que já está em andamento desde 2015 e já beneficiou cerca de 20 mil alunos em sete estados brasileiros, para 19 entidades sociais no Distrito Federal e entorno. É esperado que 5700 crianças sejam impactadas pela parceria nessas novas escolas beneficiadas até janeiro de 2019. A meta do Projeto Experimento para 2017 é ampliar o alcance do programa para 30 mil alunos em 12 estados.

A parceria foi viabilizada graças à Siemens Healthineers, divisão de saúde da Siemens, que enxergou a possibilidade e engajou as duas entidades. A princípio, a parceria tem a duração de dois anos, podendo ser renovada. A expectativa da Fundação Siemens é que a parceria se torne permanente e que o Instituto Sabin se torne um multiplicador do projeto. Além disso, de acordo com Bianca Talassi, Secretária Executiva da Fundação Siemens, as entidades acreditam na força da educação e esse acordo pode abrir caminho para novos projetos no futuro.

A previsão é que as aulas nas novas escolas comecem ainda no primeiro trimestre escolar. O projeto visa impactar crianças a partir de seis anos. Cada professor pode atender entre 20 e 30 alunos e, nessas 19 entidades, serão treinados dois professores por instituição, totalizando 38 novos professores para a condução do programa. Uma das metas estipuladas é de aumentar o número de professores/multiplicadores em todo o Brasil de 500 para 1500, em 2017.

"A gente fica muito feliz em poder estender uma parceria que já é bem-sucedida no âmbito comercial, de negócios. Foi algo que foi bem simbólico para a gente, conseguir fazer a ponte entre duas iniciativas que cada instituição já fazia, mas que poderiam conversar entre si, que é o caso agora" disse Fabio Deboni, gerente executivo do Instituto Sabin. "Como temos mais tempo de atuação no Distrito Federal, optamos por começar essa parceria aqui. Nesta região está a maior quantidade de instituições parceiras e que temos uma relação mais próxima, mas temos condição de estender o projeto depois para outros estados", completou.

Aumenta o interesse de crianças e jovens pela ciência

O Projeto Experimento, concebido pela Siemens Stiftung (Fundação Siemens na Alemanha), tem como objetivo aprimorar o ensino de ciências e fomentar o interesse por questões científicas em crianças e jovens por meio de uma metodologia que incentiva o aprendizado pela descoberta e parte de iniciativas similares na Alemanha, onde teve origem. "Esse crescimento mostra de maneira clara o comprometimento da Fundação Siemens com o ensino STEM (ciências, tecnologia, engenharia e matemática) e a importância de discutir o tema em uma agenda pública, buscando o desenvolvimento do nosso país. Por meio das parcerias firmadas, notamos que a preocupação está presente na indústria, no empresariado, no terceiro setor, nas instituições de ensino e nas secretarias de educação, porém precisamos agir rapidamente", afirma Bianca Talassi.

O projeto atua capacitando professores com métodos, instruções e materiais que encorajam crianças a pensarem de forma independente e criativa sobre problemas científicos e suas soluções. A metodologia facilita aos professores traduzir o princípio do aprendizado por descoberta em práticas de ensino. Nela, crianças e jovens são gestores do próprio conhecimento, explorando fenômenos naturais de forma independente através da experimentação. "O Projeto Experimento oferece workshops para treinamento dos professores para utilizarem os experimentos na prática, com foco nas áreas de energia, saúde e meio ambiente", explica Bianca.

Os kits são divididos por faixa etária e possuem metodologia própria, que cobrem desde a primeira infância até o ensino médio. No mundo, o projeto criado pela Siemens Stiftung está presente em três continentes, nos seguintes países: Alemanha, África do Sul, Quênia, Chile, Peru, Colômbia, Argentina, México e Brasil.

Sobre o Instituto Sabin

Criado em 2005 e qualificado como OSCIP, o Instituto Sabin surgiu com a missão de reunir e formalizar as práticas de responsabilidade social exercidas pelo Laboratório Sabin. Bem antes da criação do Instituto, o Laboratório Sabin já realizava ações sociais, beneficiando comunidades e pessoas em vulnerabilidade social e/ou econômica. O próprio crescimento desse trabalho fez emergir a necessidade da fundação do Instituto.

O primeiro projeto social do Laboratório Sabin foi o Criança e Saúde, cujas ações foram iniciadas em 1999. O objetivo era apoiar creches de comunidades em vulnerabilidade social no desenvolvimento de ações de saúde, em especial as que acolhiam crianças com apresentavam elevados índices de verminoses. A parceria com a Fundação Siemens se dá no âmbito deste Projeto.

Atualmente, o Instituto Sabin tem a missão de promover a melhoria da qualidade de vida de comunidades onde o Grupo Sabin atua nas áreas de saúde, esporte, educação e inovação social. Mais de 800 mil pessoas já foram impactadas pela atuação do Instituto Sabin desde a sua fundação, em 2005.

Sobre a Fundação Siemens no Brasil

A antiga Fundação Peter von Siemens - nome dado em homenagem ao fundador da mantenedora - foi criada em 25 de setembro de 1986. Em 2004, obteve o título de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), mudança que possibilitou a ampliação das ações da entidade. A partir de 2012 foi oficialmente nomeada Siemens Fundação Brasil, ou popularmente conhecida como Fundação Siemens. A Fundação foi criada a partir da necessidade de contribuir com o desenvolvimento local, primordialmente nas comunidades onde atua, a partir do entendimento de que ao sermos parte integrante da sociedade, também somos responsáveis por sua situação e ao mesmo tempo, agentes transformadores. Seu foco de atuação está voltado basicamente para a Educação e Desenvolvimento Local através de Tecnologias Básicas.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.