Grupo Automec/JCB surpreende e entra em 2017 com números acima das expetativas no mercado de equipamentos para construção

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de março de 2017 | 08h30

(DINO - 14 mar, 2017) - A complexidade da situação não abalou confiança do fabricante, com unidade fabril em Sorocaba desde 2009 e reconhecido como líder mundial do mercado de retroescavadeiras, e nem tirou a determinação do grupo Automec, que vem de um histórico de 60 anos no segmento automotivo, é hoje o maior grupo da marca Chevrolet do interior do estado de São Paulo, com um faturamento anual de R$600 milhões em 2015 e R$700 milhões em 2016 com expectativa de crescimento de 10 a 15%.Com apenas oito meses de funcionamento como representante JCB, a AUTOMEC /JCB faturou em 2016 R$ 50 milhões, número considerado expressivo se levado em conta as grandes dificuldades enfrentadas pelo mercado de máquinas para construção no país e ainda assim espera crescer pelo menos 10% esse ano.Cenário conturbado Rafael Peres, diretor de vendas e marketing do Grupo Automec, diz que a empresa entrou nesse mercado no contra-fluxo da economia. "Investimos cerca de R$ 8 milhões iniciais no projeto Automec/JCB porque temos plena certeza do potencial do negócio. "A visão é de longo prazo e está totalmente alinhada com os objetivos da fábrica JCB, diz Rafael Peres diretor de vendas e marketing da Automec. "Apesar do cenário - afirma ele - estamos confiantes que o mercado de máquinas e equipamentos para construção vai voltar a crescer, pois a infraestrutura do país é urgente e não pode mais andar à deriva. Nós já trabalhamos há algum tempo com máquinas agrícolas e hoje estamos colocando toda a experiência, aprendizado e diferenciais na parceria com uma marca forte como a JCB. Podemos dizer que apesar do momento que vive o Brasil, nós estamos confiantes e empenhados em fortalecer os relacionamentos e o prestígio da marca, por meio de respostas rápidas ao mercado e aos clientes. Os primeiros resultados já apareceram."

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.