Internet vira solução para aposentados gastarem menos com remédios

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

15 Dezembro 2016 | 14h54

São Paulo, SP--(DINO - 15 dez, 2016) - Em meio a tantas discussões sobre a aposentadoria no Brasil, fica cada vez mais evidente a necessidade de uma economia mais sólida e complacente com a população mais idosa. Além das eventuais despesas com moradia e bens de consumo básico, os aposentados vêm sofrendo cada vez mais com os reajustes da indústria farmacêutica.

Segundo pesquisas, o aposentado gasta cerca de 30% da sua aposentadoria com remédios para hipertensão, diabetes, colesterol, analgésicos, entre outros. São aproximadamente R$ 350,00 todos os meses para realizar a manutenção da saúde, sem contar aqueles que ainda desembolsam mais dinheiro para pagar os planos de saúde.

Como resposta, diversos programas de incentivo foram desenvolvidos com o passar dos anos. A Farmácia Popular, por exemplo, foi implementada pelo Governo Federal, com o intuito de levar medicamentos para a população de forma barata e em muitos casos até distribui-los de forma gratuita. Outros programas propostos por drogarias e laboratórios também ajudaram a conter um pouco da inflação, exercendo muitas vezes um desconto extra para os consumidores.

Só em abril deste ano o Governo autorizou um reajuste de 12,5% no preço final dos medicamentos, deixando os idosos encurralados, pois para a maioria deles o remédio é um gasto compulsório e dificilmente a pessoa tem o poder de negar a compra, levando em consideração que isso poderia comprometer a própria saúde. Em virtude desse problema, empresas no ramo da tecnologia surgem para ajudar a população, carente de uma solução imediata. Um bom exemplo é o Multifarmas, que compara preço de medicamentos nas maiores drogarias do país.

"Criamos o Multifarmas como uma forma de ajudar a contornar a inflação no mercado farmacêutico, sabemos que muitas redes de drogarias e fabricantes absorvem o reajuste aprovado para si, como uma forma de continuar com preços competitivos tendo em vista as variadas opções disponíveis no mercado. Fixamos parceria com mais de 30 redes farmacêuticas, onde é possível comprovar a variação de até 80% no valor do mesmo remédio. A ideia de buscar o melhor preço sempre foi uma realidade no mundo offline, apenas otimizamos essa ideia para o mundo virtual, onde a comparação pode ser feita em questão de segundos e sem sair de casa. O mais gratificante é saber que numa base mensal, essa diferença de preços poderá deixar o saldo da conta do consumidor no azul e possibilitar uma melhor qualidade de vida para eles." Explica Carlos Matos, sócio-fundador do Multifarmas.

Portanto de um modo geral, a crise econômica cria novas soluções que ajudam a contornar o problema do preço alto dos medicamentos. Seja se cadastrando em farmácias ou utilizando ferramentas de comparação de preço online, a atitude de buscar por descontos, certamente fará diferença no final do mês.

Website: http://www.multifarmas.com.br/

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.