MAFRO/UFBA expõe obras de dois artistas septuagenários e darácontinuidade à programação comemorativa

São Paulo, SP--(DINO - 08 mar, 2017) - Dentro da programação comemorativa pelos 35 anos, o MAFRO/UFBA apresenta as exposições "Terciliano Jr. ? A Matriz Africana em Arte" e "Mestre Duda Xilogravuras", em reconhecimento a dois artistas septuagenários, soteropolitanos e afro-brasileiros, que apesar de

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

08 de março de 2017 | 17h52

utilizarem técnicas artísticas diferentes, apresentam em suas obras elementos que dão representatividade à cultura negra. Ambos, com 77 anos de idade, fazem parte do rol de artistas negros que estiveram na I e II Bienal da Bahia.

O Museu Afro-brasileiro está sediado no prédio da Universidade de Medicina, localizado no Terreiro de Jesus, s/no., Centro Histórico de Salvador. Neste ano de 2017 realizará diversas atividades, disponibilizando para o público, além do acervo permanente, exposições temporárias, seminários, encontros, oficinas, sempre valorizando as

culturas africanas e sua presença na formação da cultura brasileira.

As mostras, que estão em cartaz, têm curadoria da professora Dra. Graça Teixeira e também fizeram parte das comemorações dos 70 anos de fundação da Universidade Federal da Bahia (08/04/1946) e podem ser visitadas até 21 de abril, de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas.

Terciliano Jr ? A Matriz Africana em Arte

Suas obras retratam elementos simbólicos da liturgia ancestral da religiosidade afro-brasileira, tais como: representações de Orixás, objetos, instrumentos, dentre outros. Divindades do panteão africano ganham formas através das técnicas de acrílico sobre tela, papel e

madeira.

Nascido em Salvador, Terciliano Jr. é artista plástico, sobrinho do Babalorixá Bernardino Bate Folha (fundador do Terreiro do Bate Folha), se mantém como observador da afro-religiosidade, levando para sua obra o resultado de um olhar atento e minucioso sobre a beleza da cultura de matriz africana.

Ao longo de sua carreira, iniciada nos cursos livres da Escola de Belas Artes da UFBA, Terciliano Jr. realizou mais de 300 exposições entre individuais e coletivas no Brasil, nos Estados Unidos e Europa, tendo sido laureado pela Academia de Artes, Ciências e Letras de Paris em 2008, pela relevância de seu trabalho. Morou por 10 anos nos Estados Unidos, possuindo obras em coleções particulares, museus e

escolas de Belas Artes.

Mestre Duda Xilogravuras

Eduardo França, o Mestre Duda, apresenta gravuras que retratam o cotidiano da cidade de Salvador. A xilografia é a técnica que o artista utiliza para entalhar a madeira com ferramentas cortantes e com o entalhe faz surgir o alto relevo, que ao receber a tinta gráfica, com o uso do rolo de borracha, permite a multiplicação da imagem.

Mestre Duda é parte da história e tradição da UFBA, foi no espaço da sala de gravura da Escola de Belas Artes, que ele teve o seu primeiro contato com a técnica por meio de Edson da Luz, participando dos antigos cursos livres da instituição. Foi aprendiz e companheiro de grandes nomes das artes na Bahia, tais como Hansen Bahia, Henrique Oswald, Terciliano Jr, Juarez Paraíso e Sonia Castro, entre outros.

O MAFRO ao apresentar a exposição Mestre Duda Xilogravuras não só celebra os 70 anos da UFBA, como também faz um tributo ao artista que dedicou parte de sua longa caminhada, entalhando marcas do seu saber na formação de cada estudante da Escola de Belas Artes.

Sobre o MAFRO/UFBA

O MAFRO/UFBA é um dos únicos no país, que guarda importantes elementos materiais, representativos dessas culturas, apresentando conteúdos que facilitam a compreensão dos aspectos históricos, artísticos e etnográficos, que identificam as sociedades africanas,

possibilitando uma reflexão sobre a importância dessa matriz para o desenvolvimento da sociedade brasileira.

Serviços:

Exposições: Terciliano Jr ? A Matriz Africana em Arte e Mestre Duda Xilogravuras

Local: MAFRO/UFBA

Endereço: Terreiro de Jesus, s/no. Pelourinho (Antiga Faculdade de Medicina)

Cidade: Salvador - BA

Funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas

Ingresso: R$ 6,00 (normal) R$ 3,00 (meia) / Gratuito (Crianças até 5 anos; estudantes e professores da Rede Pública e Comunidade UFBA))

Fone: (71) 3283-5540

Informações à Imprensa

Central de Comunicação

(11) 3675-2141

Claudia Alexandre - (11) 97061-5995

Chris Molina - (11) 97970-8822

Atendimento: Camila Gonçalves - (11) 97326-9170

centraldecomunicacao@gmail.com

central@centraldecomunicacao.com.br

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.