Maior festival-escola do Brasil, Femusc já recebeu mais de 6,5 mil alunos de 40 países

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

12 de janeiro de 2017 | 16h15

Jaraguá do Sul - SC--(DINO - 12 jan, 2017) - A música é transformadora. Ela tem o poder de mudar a vida de quem a interpreta e também do público que a aprecia. Um exemplo notável dessa realidade modificadora da arte é o Femusc (Festival de Música de Santa Catarina). Considerado o maior festival-escola do Brasil, o evento vem alterando a realidade do Estado, fortalecendo o cenário musical erudito brasileiro e, ainda, dando a oportunidade de aperfeiçoamento a milhares de jovens instrumentistas de todo o mundo.

Chegando à 12ª edição, o Femusc já recebeu mais de 6,5 mil participantes em seus programas principais. Eles representam 40 países e, em Jaraguá do Sul, no Norte catarinense, puderam se encontrar com alguns dos mais importantes professores da atualidade. Pelo festival, por exemplo, já passaram nomes como Jay Friedman, Ronald Bishop, Leon Spierer, Simon Bernardini, Charles Stegeman, Charles Schlueter, Martin Angerer, Bart Claessens, Andreas Hofmeier e Dmitry Limantsev. A lista de referências ainda conta com os brasileiros Luiz Garcia, Fany Solter, Darcio Gianelli e Ricardo Castro.

Com direção-artística do oboísta Alex Klein, o Femusc também é um transformador da realidade musical no Brasil. O festival foi o responsável por levar a Jaraguá do Sul nada menos do que 17 harpas. O número faz da cidade o principal centro do instrumento no país e também na América Latina.

Outra conquista é o alto nível das audições realizadas, anualmente, pela organização do evento. "Se fecharmos os olhos, é possível duvidar se são nossos alunos ou professores, devido à formidável virtuosidade que representam as 1,3 mil inscrições que recebemos", explica Klein. O diretor-artístico ainda comenta que o Femusc tem apoiado fielmente o desenvolvimento das artes musicais em Santa Catarina.

Neste ano, o festival receberá 163 brasileiros, sendo que 30 são alunos de Santa Catarina. No topo da lista estão os paulistas, com 55 participantes aceitos. Entre os 300 instrumentistas que desembarcam em Jaraguá do Sul entre os dias 26 de janeiro e 4 de fevereiro, o segundo maior contingente virá da Colômbia, país seguido de perto pelo Chile e pela Argentina. Além disso, haverá estudantes da Austrália, Reino Unido, Costa Rica, Equador, Estados Unidos, Holanda, Honduras, México, Paraguai, Peru e Venezuela.

Programação

Com apresentações diárias, o Femusc dá a oportunidade de o público acompanhar, gratuitamente, formações únicas, que unem professores e alunos nos palcos do Centro Cultural Scar. Também são realizados concertos sociais em diversas cidades do Norte de Santa Catarina.

Em 2017, a agenda conta com, pelo menos, seis programas diários, que vão dos Grandes Concertos até apresentações específicas de canto, piano, violão e música de câmara. Nos sábados, também estão previstas atrações para as crianças, como o Concertos para as Famílias e o Zoológico Musical.

O repertório da 12ª edição do Femusc terá duas óperas (A Flauta Mágica, de Wolfgang Amadeus Mozart, e The Turn of the Screw, de Benjamin Britten), e, ainda, a Sinfonia nº 2 de Gustav Mahler, e a abertura O Barbeiro de Sevilha, do italiano Giacomo Rossini. No dia 27, para comemorar o aniversário de Mozart, ocorre um concerto especial com obras do compositor austríaco. A programação completa estará disponível, em breve, no site www.femusc.com.br.

Sobre o Femusc

O Femusc está na 12ª edição e acontece, anualmente, em Jaraguá do Sul. Considerado o maior festival-escola do Brasil, o evento reúne alunos de todo o mundo que, em aulas e concertos, podem dividir o palco com alguns dos professores mais virtuoses da atualidade. Saiba mais acessando www.femusc.com.br ou www.facebook.com/femusc.

Website: http://www.femusc.com.br/

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.