Material com abordagem socioemocional baseado em pesquisas do Casel é lançado no Brasil

(DINO - 06 fev, 2017) - Quando decidiram escrever um material voltado para o desenvolvimento de habilidades como resiliência, capacidade de resolver problemas, autoconfiança, entre algumas das chamadas socioemocionais, os professores Eduardo Calbucci e Celso Lopes de Souza sabiam que estavam criando algo relevante para as escolas brasileiras. Com a experiência de sala de aula, estiveram num dos lugares mais sensíveis em que é possível ver o quanto os aspectos emocionais influenciam para o resto da vida de uma pessoa: um curso pré-vestibular.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

06 de fevereiro de 2017 | 17h16

A maioria dos candidatos a uma vaga nas melhores universidades do país enfrenta desafios para lidar com a ansiedade, o nervosismo e a insegurança no período, mesmo sabendo o conteúdo das matérias na ponta da língua. Mas esse é só o final de um ciclo de 15 anos, e saber lidar com esse tipo de situação, por exemplo, não é só para aqueles que possuem algum dom.

Tanto é preciso desenvolver uma série de capacidades ao longo da vida escolar que o PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) instituiu em sua matriz a avaliação de como os países estão realizando esse desenvolvimento em suas escolas. Afinal, elas impactam diretamente até no desempenho das disciplinas tradicionais. A própria Reforma do Ensino Médio brasileira, anunciada em setembro de 2016, também coloca em sua premissa a necessidade de se trabalhar as habilidades socioemocionais com vistas ao projeto de vida dos alunos.

A experiência em sala de aula, como autores de material didático, alinhada ao contexto educacional brasileiro e mundial, fizeram com que os professores empreendessem um material voltado ao desenvolvimento de habilidade socioemocionais, o Programa Semente. Inicialmente, mobilizaram uma equipe de cerca de 20 especialistas em educação, medicina e psicologia, para então estruturar o negócio. Com tudo ajustado, lançaram o material em outubro de 2016, e em menos de 3 meses, viram o interesse de escolas e outras instituições educacionais disparar: alavancaram até o momento uma carteira de mais 20 mil alunos, que vão utilizar o material já a partir do início de 2017.

"Percebíamos que as escolas tinham muito interesse e estão prontas para implantar esse tipo de programa, mas são extremamente carentes no Brasil de referências pedagógicas confiáveis no mercado", diz Eduardo Calbucci. "Nesse sentido, investimentos numa equipe forte e com muita experiência no dia a dia da sala de aula, que entende os anseios dos educadores, o que se refletiu na grande adesão", ressalta.

Embora produzido por brasileiros, o Semente foi concebido com base em experiências bem-sucedidas em outros diversos países, como o Casel (Sigla de Espaço Colaborativo para a Aprendizagem Acadêmica e Socioemocional, em livre tradução). Voltado ao desenvolvimento de habilidades de alunos da Educação Básica, o Casel reuniu em 2011 diversos pesquisadores ao redor do mundo para avaliar o impacto de programas de habilidades socioemocionais na vida de 270 mil estudantes. Os resultados de boas práticas incidiram não só na diminuição da possibilidade de surgimento de transtornos psiquiátricos, como também, na melhora em média de 11% no desempenho acadêmico.

"Sabíamos que precisávamos também embasar o material a partir de experiências bem-sucedidas, conectadas a boas práticas e comprovadamente eficazes", opina Celso Lopes de Souza. "Por isso, assim que conseguimos estruturá-lo, principalmente a partir do Casel, de maneira adequada à realidade brasileira, acreditamos plenamente que iria dar certo; conhecemos nossas escolas, sabemos de sua responsabilidade perante os alunos, os pais, e estamos muito satisfeitos com o amplo interesse", completa.

Em um mundo onde o aluno se vê mergulhado em informação, mas, ao mesmo tempo, cada vez mais sedento por sabedoria, é necessário que o trabalho educativo potencialize a construção de valores sociais e que fortaleça a noção de coletivo no indivíduo. Nesse sentido, o material do Programa Semente, foi idealizado para o estudante entender suas próprias emoções e perceber suas fortalezas e fraquezas, ao mesmo tempo em que desenvolve empatia e a noção de alteridade.

O fortalecimento da capacidade de comunicação, a cooperação e a habilidade de tomar decisões responsáveis, para si e para os outros, completam as características essenciais trabalhadas no material.

Website: http://www.programasemente.com.br

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.