Métodos não Destrutivos são utilizados também na reparação de redes

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

15 de março de 2017 | 11h06

Atibaia - SP--(DINO - 15 mar, 2017) - A construção de túneis e dutos através de Métodos não Destrutivos (MND) não é novidade. Desde a edificação dos túneis rodoviários, esta tecnologia é utilizada para evitar a destruição de áreas de conservação e transpor obstáculos naturais. Com o desenvolvimento e ampliação do método, o MND passou a ser utilizado também no subsolo em instalações e reabilitação de redes de água, esgoto, gás, comunicação, etc. Em uma época que a sustentabilidade e conservação do meio ambiente é um dos pilares sociais, é inadmissível grandes intervenções em prol do crescimento urbano e o MND vem de encontro a esta demanda.

Além dos danos ambientais, os custos sociais e econômicos também são reduzidos com a utilização deste método representando uma alternativa interessante frente a construção, reforma e reparo com vala a céu aberto. Com tantas vantagens, o MND tem se tornado a primeira opção para instalação e recuperação de redes. Com estudos precisos e investigações adequados, essa técnica minimiza o risco de problemas durante a execução dos serviços como reparos e reformas. Dependendo de qual o problema a ser solucionado e dimensão das redes, há uma forma diferente de resolver a adversidade. Para ajudar as empresas com problemas em suas redes, a DRC , empresa especializada em Perfuração por Métodos não Destrutivos, selecionou e explicou como funciona cada um destes procedimentos. Confira!

Revestimento por inserção de novo tubo (sliplining)

Considerada uma das técnicas mais simples, o sliplining é realizado em redes com pequenas dimensões que impossibilitam a entrada de pessoas. Neste método uma nova tubulação é puxada ou empurrada para dentro da antiga. O objetivo é reutilizar o furo existente no solo para reformar a rede.

Revestimento por inserção apertada de tubulação deformada (close-fit lining)

Semelhante ao procedimento anterior, neste método ocorre a inserção de uma tubulação propositalmente deformada dentro da rede mais antiga. Após total a introdução, esta tubulação volta a sua forma original ficando bem justa aos tubos já existentes.

Revestimento por aspersão (spray lining)

Nas redes de distribuição de água, a maior necessidade de manutenção é a remoção de depósitos e corrosão e a aplicação de revestimentos que inibam deterioração futura. A Spray lining tem exatamente esta função, através de um robô de aspersão argamassa de cimento ou resina epóxi é distribuído por todo a rede, garantindo maior durabilidade.

Revestimento por inserção com cura in loco (cured-in-place lining)

Neste método, um tubo de tecido impregnado com resina epóxi ou de poliéster é inserido na rede existente, inflado contra as paredes e curado na temperatura ambiente ou com a recirculação de vapor ou água quente. Este revestimento, normalmente é utilizado em tubulações de esgoto.

Reparos e vedações localizados

Desenvolvido para reparos localizados em redes de esgoto, este procedimento é feito através de inserção de tubos de feltro e resina com cura in loco. Quando há apenas problemas localizados nas redes esta é a opção mais viável economicamente, mas dependendo da extensão do problema, o reparo total é o mais indicado.

Recuperação de tubos de grande diâmetro e de Poços de Acesso

Realizada em redes que é possível a entrada de pessoas, neste método a recuperação é feita com técnicas usadas para reparo de alvenaria ou concreto acima do solo.

Website: http://www.drcnet.com.br/

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.