Ministro da Saúde visita a AMB e defende o SUS

(DINO - 09 fev, 2017) - No encontro, o ministro reafirmou a disposição para contribuir em projetos de Estado para área da Saúde. Ressaltou o papel, como engenheiro, de dar aos médicos brasileiros condições adequadas de trabalho (insumos, equipamento e estrutura) para que a população possa ter acesso à saúde de qualidade.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

09 de fevereiro de 2017 | 11h50

Dentre as perguntas feitas pelos médicos presentes, um dos destaques foi a preocupação com atrasos nos pagamentos dos salários, situação que chega a níveis críticos, com mais de seis meses de atraso, em algumas cidades, apesar de receberem os recursos do ministério em dia. Em resposta, o ministro afirmou que o sistema de pagamentos e transferência de recursos para os municípios vai mudar. "Hoje, no SUS, o dinheiro é repassado, o que for feito está feito, ninguém tem que prestar contas, não tem responsabilidade, mas passará a ter" afirma o ministro. Ricardo Barros afirmou que exigir a comprovação de pagamento dos serviços prestados vai ser um dos mecanismos de controle dos parceiros do SUS.

Ainda segundo o ministro, no modelo de descentralização dos recursos o Ministério da Saúde repassa 80 bilhões para estados e municípios executarem os serviços de saúde. A crise dos estados e municípios provocam distorções que afetam o sistema e os profissionais. Os estados e o municípios que não repassarem os recursos que recebem adequadamente também terão que ser responsabilizados. Hoje não há ônus para nada, explicou Ricardo Barros.

Florentino Cardoso, presidente da AMB, ressaltou a disposição da entidade para trabalhar em prol de políticas de Estado para melhorar a saúde, medicina e o médico. Também reafirmou o apoio a medidas que ajudem o SUS a ser mais eficiente e transparente, condição fundamental para melhorar a utilização dos recursos e consequentemente a qualidade dos serviços à população. "Que consigamos trabalhar cada vez mais em conjunto, pensando em conjunto, para oferecer o que temos de melhor para a população", afirmou o presidente.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.