Municípios se engajam para melhorar a educação pública

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de março de 2017 | 08h34

(DINO - 13 mar, 2017) - Em articulação conjunta e inédita no sul do Brasil, municípios de Santa Catarina estão buscando soluções para melhorar a qualidade do ensino público. Em reuniões periódicas, os representantes da Educação de cidades da região da grande Florianópolis traçaram um raio-x dos desafios e potencialidades de cada município e do território. Entre as metas traçadas e que já estão sendo colocadas em prática, estão ações visando o aumento da aprendizagem (proficiência) e correção do fluxo escolar.O Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) é uma iniciativa da Associação dos Municípios da Grande Florianópolis (GRANFPOLIS), com o ativo envolvimento das prefeituras envolvidas, Instituto Positivo e parceiros da iniciativa privada, o trabalho conjunto entre as secretarias municipais de Educação é dividido na investigação dos desafios, das potencialidades e na troca coletiva de experiências para solucioná-los. O projeto iniciou em julho de 2015 em 22 municípios da região da grande Florianópolis.Como parte do projeto, o primeiro encontro coletivo com os atuais secretários de Educação aconteceu em Florianópolis, na última terça-feira (21), e reuniu mais de 60 representantes dos municípios participantes. A apresentação da metodologia do programa e dos avanços das quatro metas propostas foi o grande objetivo do evento. Além disso, o encontro foi marcado pela apresentação da parceria com o Instituto Ayrton Senna para a Meta 2 (corrigir o fluxo de alunos que tem distorção entre a faixa etária e a série que frequentam). A gerente Executiva do Instituto Ayrton Senna, Inês Kisil Miskalo, apresentou as soluções educacionais que poderão ser aplicadas nos municípios para o fortalecimento e a aceleração da aprendizagem dos alunos em defasagem idade/ano escolar. ResultadosApós o diagnóstico, o estabelecimento das metas e da criação do calendário para executar as ações, as ações previstas começaram a ser colocadas em prática. Foram definidas quatro metas, três das quais já estão em andamento. No ano passado, para o cumprimento da primeira meta (compreender as dificuldades para os alunos assimilarem o conhecimento repassado em sala de aula), os secretários optaram por aplicar uma avaliação externa, em larga escala, nos moldes da Prova Brasil. A ação envolveu 18 mil alunos de 20 municípios participantes.Como segunda meta, foi detectada a necessidade de corrigir o fluxo de alunos que apresentam distorção entre a faixa etária e a série que frequentam. Até o final de 2017, o ADE GRANFPOLIS quer reduzir a média geral do território de distorção idade/ano de 12,3% para 8%.O projeto estabeleceu ainda, como terceira meta, a criação de um documento contendo referenciais técnicos que contribua para viabilizar a análise e a implementação, pelas prefeituras, do 1/3 da hora-atividade para os professores.Com elaboração prevista para este ano, a quarta meta engloba o desenvolvimento de um programa de avaliação institucional que permita diagnosticar a organização e o funcionamento dos sistemas municipais de ensino."Para além das metas encaminhadas e alcançadas, conquistamos, acima de tudo, confiança mútua e um ambiente de forte comprometimento e colaboração. Podíamos até ter divergências de opinião, mas, ao final, partilhávamos de propósitos comuns. Por essas razões, é motivo de orgulho para nós, do Instituto Positivo, participar deste processo, que tem no diálogo e no foco da qualidade da educação os seus principais ativos", afirma Eliziane Gorniak, diretora executiva do Instituto Positivo."O ADE permitiu aos municípios da Grande Florianópolis enxergar a realidade da região por meio do diagnóstico realizado. Também permitiu aos municípios perceber que, juntos, podem desenvolver ações mais complexas e com menores custos, compartilhando inclusive recursos humanos. O programa possibilitou aos 22 municípios o compartilhamento de dificuldades e a busca de soluções conjuntas. Nesse trabalho, formou-se uma rede de trocas e de construções coletivas que já apresenta resultados, como a avaliação em larga escala", ressalta Mário Fernandes, secretário municipal de Educação de Águas Mornas e líder eleito do ADE/GRANFPOLIS.O Instituto Positivo atua como facilitador no processo de implantação dos regimes de colaboração entre as secretarias municipais de Educação por meio de uma metodologia estruturada e voltada para a melhoria do sistema educacional. Coube à GRANFPOLIS articular e mobilizar os municípios e seus secretários da Educação para executar a metodologia proposta. Foi eleito também um secretário de educação que representa os demais no ADE para dialogar com todos os participantes e propor ações que facilitem na busca conjunta de soluções. Empresas, ONGs e representantes da sociedade civil entram como apoiadores das ações de melhoria."Fizemos um profundo diagnóstico nos 22 municípios, o que nos despertou para perspectivas e grandes desafios e vem direcionando o nosso trabalho territorial. São muitos os desafios a serem enfrentados. No entanto, nossa consciência nos anima e motiva para que as transformemos em expectativas para um futuro de melhor qualidade de vida para nossas crianças", afirmou Antão Antônio David, assessor de Educação da GRANFPOLIS.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.