O e-commerce veio para ficar no Brasil e no mundo

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de março de 2017 | 07h18

(DINO - 09 mar, 2017) - Diversas pessoas têm se aventurado no comércio eletrônico (ou venda não presencial - como o e-commerce também é conhecido), e isso tem feito o setor crescer notoriamente. Porém, a atividade não é tão simples o quanto se pensa. Não basta criar um sistema, escolher um produto e colocá-lo a venda. Os desafios vão muito além, como qualquer outro setor profissional.

O primeiro passo é conhecer bem profundamente este mercado do e-commerce. Depois, é preciso estabelecer objetivos e definir nichos de atuação. "Para qualquer tipo de negócio, é fundamental determinar o público-alvo e quais são os anseios deles. Entendido isso, é necessário explorar os hábitos de compra dos clientes específicos dentro da internet", apontou o coaching de negócios, Adam Nöckel. Saber o perfil dos consumidores brasileiros também é importante para se desenvolver no mercado virtual. "Cada vez mais, os brasileiros possuem menos tempo em sua rotina para ir fisicamente a uma loja e comprar um item, não importa qual seja. O e-commerce facilita isso".

De acordo com uma pesquisa feita pelo Sebrae, de 2001 a 2015, o faturamento do setor apresentou um crescimento bem acelerado, e a tendência é que o mercado continue assim. Ao longo de 2015, foram realizadas compras virtuais por 39,1 milhões de consumidores, totalizando 106,2 milhões de pedidos. "A maioria das pessoas possui um smartphone, então, em qualquer lugar e hora é possível efetuar a compra. E hoje, a nova geração de jovens lida facilmente com a tecnologia e busca comodidade nas compras pela internet", analisou Nöckel.

Segundo Nöckel existem alguns pontos que precisam receber atenção para o negócio dar certo. Ele afirma que apenas colocar os produtos na prateleira (internet), não é o suficiente. Existem outros processos envolvidos, tais como: uma boa empresa de marketing para traçar estratégias e realizar uma boa campanha de propaganda; apresentar um site que tenha tráfego fácil, com um layout limpo e atraente, além de trabalhar com uma boa estrutura para atender a demanda que virá.

O profissional ainda dá uma dica valiosa para quem está disposto a investir no e-commerce. "Oferecer um suporte ao cliente antes da compra até o pós-venda, como manter um canal de comunicação. Por este canal, você pode tirar as dúvidas e mandar novidades sobre o produto adquirido. Isso pode render novas compras para a mesma pessoa", ressaltou Nockël, que completou. "É um meio de alavancar as vendas. E para quem já possui um comércio físico, colocá-lo também na internet pode ser uma forma de aumentar as vendas de forma significativa", reforçou o coach.

Confira cinco passos para ser um empresário de e-commerce bem sucedido

1 - Ser um expert no nicho escolhido, dominar bem o produto e/ou serviço no mercado que atuará;

2 - Conhecer o histórico de consumo do seu público na internet;

3 - Montar uma estrutura que dê conta da demanda que surgirá;

4 - Montar estratégias de marketing alinhadas ao consumo do seu público-alvo;

5 - Manter um relacionamento constante com os seus clientes. Sempre deixar aberto um meio de comunicação, por onde poderá dar mais informações sobre o item adquirido (saiu um aplicativo ou peça nova, por exemplo).

Website: http://www.liberdadedeideias.com.br

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.