O que é importante saber sobre a compra e venda informal de milhas

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

15 de dezembro de 2016 | 16h10

Brasilia DF--(DINO - 15 dez, 2016) - Quem gosta de viajar todos os anos sabe perfeitamente como é o drama de decidir qual será o meio de transporte perfeito. Seja de ônibus, carro ou avião, o Brasil é um país que cobra caro para se transitar e há muito a ser considerado no momento de decidir como ir. A preferência de todo viajante ainda é o avião, nem sempre viável pelos altos custos de passagens e por promoções que não contemplam a todos. Por esta razão, as empresas aéreas permitem a acumulação de milhas no cartão de crédito ou em programas de fidelidade, nos quais o cliente pode pagar suas passagens utilizando somente estas milhas acumuladas, sem necessidade de colocar a mão no bolso.

Embora pareça ótimo, não é assim tão simples. É preciso acumular grandes quantidades de milhas para conseguir pagar uma passagem, ou seja, é preciso que você consuma bastante com o seu cartão de crédito e se planeje para o momento da viagem. As empresas aéreas também disponibilizam a possibilidade de que você pague parte com dinheiro e parte com as milhas, caso queira viajar antes de acumular o montante necessário.

As empresas permitem que as milhas sejam destinadas à compra de bilhete de outra pessoa que não seja o dono da conta. Assim, se você quiser emitir um bilhete para dar de presente a alguém com suas milhas, você pode fazê-lo. Tendo em vista esta permissividade, muitos empresários tiveram a ideia de fazer "mercados de milhas" informais online, nos quais através de cadastro confirmado e serviço de proteção de transações financeiras, você pode comprar milhas de vendedores que estejam dispostos a fornecê-las por um preço satisfatório. A depender do site, a compra é bastante segura e há mecanismos diversos de proteção, inclusive o uso de senha e sua alteração após cada transação realizada. Os sites recebem uma pequena taxa por transação e ambos os negociadores saem satisfeitos. Quem quer viajar, encontra passagens por um preço que cabe no bolso e não é abusivo. Quem está com uma grande quantidade de milhas acumuladas prestes a expirar e não tem planos de sair de casa tão cedo não precisa perder o benefício que conseguiu ao optar por acumular.

É uma prática legal?

Não há na legislação brasileira norma que regule ou mesmo que proíba a compra e venda de milhas aéreas e/ou para diárias de hotel fora das respectivas empresas. Embora as empresas aéreas não encorajem a prática (por motivos óbvios de ter as vendas prejudicadas), ninguém que compra e vende milhas online pode ser punido legalmente, justamente pelo fato de não ser uma prática proibida.

Conheça a Central Milhas!

É importante que você escolha, no entanto, um site confiável e que trabalha no ramo há muito tempo. Profissionais assim são capazes de resolver quaisquer problemas que você possa ter referente à compra de suas milhas, se responsabilizando pelo suporte, pós-venda, segurança das transações e também da sua conta. Se você se interessou por conhecer este mercado, acesse www.centralmilhas.com.br e conheça a empresa. Fundada por profissionais residentes na cidade de Brasília, a Central Milhas oferece telefones e outras fontes de contato, bem como um site seguro e munido de mecanismo de busca para você cotar o preço das passagens e tomar conhecimento de quantas milhas precisa para comprar sua passagem.

Muito longe de ser uma prática ilegal e de má fé, o mercado de milhas é apenas uma alternativa para que as viagens e hospedagens sejam acessíveis ao maior número de pessoas possível. Afinal, é importante pensar que todos saem ganhando quando uma pessoa decide viajar, ainda que se valendo de alguma promoção: consumação extra em hotéis, fomento do turismo de diversas cidades que vivem do ramo e, recomendação de empresas aéreas a amigos e conhecidos (a melhor publicidade positiva que se pode ter).

Tudo o que sabemos sobre:
ReleasesBrasilBrasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.