Projeto social de impacto oferece inclusão no mercado de trabalho

São Paulo, SP--(DINO - 14 fev, 2017) - Estabelecer padrões reais de cidadania e fazer com que cada vez mais pessoas de baixa renda exerçam efetivamente seu papel na sociedade são aspectos que passam, necessariamente, pela inclusão desse segmento no mercado de trabalho. Para isso, o Instituto ProA desenvolve uma relevante função, utilizando o coaching como uma ferramenta fundamental no sentido de trazer oportunidades concretas para esses jovens trilharem um caminho de sucesso na vida. O ProA foi criado por um grupo de empresários em 2007 para ajudar jovens com poucas perspectivas não só a conquistarem o primeiro emprego, mas também a se tornarem donos de suas próprias vidas. "Mais do que ajudar na conquista do primeiro emprego, o ProA transmite aos alunos princípios sólidos, vontade de vencer e a certeza de que, com esforço, garra e resiliência, tudo é possível", afirma Gisele Gengo, Master Coaching que atua no ProA.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

14 de fevereiro de 2017 | 15h34

O processo e desenvolvimento do trabalho, proporcionando que os ex-alunos atendidos comecem sua trajetória com um plano de carreira definido e metas para ingressar em uma universidade. Para isso, a equipe de formação de metodologia de ensino do ProA cria oportunidades para inserção no mercado de trabalho por meio de acesso à educação profissionalizante de qualidade, orientação no início da carreira profissional e apoio na conquista do emprego inicial.

O engajamento do Projeto já semeou alguns resultados relevantes com esses ex-alunos. A iniciativa se traduz na taxa de empregabilidade alcançada entre os milhares de jovens atendidos, que, atualmente, ultrapassa os 70%, comprovando a grande vocação social do programa. Além disso, 56% dos inscritos ingressam no Ensino Superior ou Técnico, e 52% ganham acima de R$ 1 mil.

Os jovens que desejam participar do ProA devem se inscrever no processo de seleção e atender obrigatoriamente os seguintes requisitos: ter idade entre 17 e 20 anos; estar matriculado no 3º ano do Ensino Médio da rede pública ou ter concluído a partir de 2014; residir na Grande São Paulo; ter uma renda familiar de até um salário mínimo e meio por pessoa. Para chegar ao êxito, o projeto conta com o apoio de grandes empresas com compromisso social, como financiadoras: Fundação Lemann; Instituto CSHG; Fundação Via Varejo, que administra Casas Bahia e Ponto Frio; RB Capital; Instituto Cyrela; MZGroup; AtDta; Constellation; Ismart; Tecnisa; JP Morgan; Estácio, além de pessoas físicas, mas precisa de uma maior divulgação para que mais jovens possam conhecer o Projeto e tenham a oportunidades de serem atendidos por ele.

A coordenadora e master coaching Gisele Gengo está à disposição para conversar com você jornalista e difundir este Projeto que mudou a perspectiva dos jovens de baixa renda e a visão do grande empresariado com relação a esse público.

Website: http://www.proa.org.br

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.