Protagonismo feminino no Mercado Financeiro ganha força

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de março de 2017 | 04h26

São Paulo - SP--(DINO - 09 mar, 2017) - Dos mais de 200 milhões de brasileiros, a população feminina já é maioria. Ganhando cada vez mais destaque no mundo dos negócios, as mulheres vêm mostrando sua força, inteligência e capacidade de liderança. Hoje, elas ocupam cargos de confiança, são chefes de Estado e dominaram o mercado de trabalho. Em meio ao protagonismo feminino, um fator tem chamado a atenção: a presença crescente delas no Mercado Financeiro e o aumento de seu empreendedorismo.

Prova disso são os resultados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada pelo Sebrae em parceria com a London Business School, entre outras instituições internacionais. O estudo verificou que as mulheres estão empreendendo mais. Segundo os dados levantados, entre 2002 e 2008, a proporção de mulheres que abriu um negócio por oportunidade passou de 38% para 69%.

Além de estarem se tornando donas do próprio negócio e se destacarem no quesito liderança corporativa, seu progresso também atingiu o Mercado Financeiro. De acordo com informações da BM&F Bovespa , houve aumento expressivo da participação de mulheres na Bolsa de Valores do país. Atualmente, já são mais de 130 mil mulheres investindo na Bolsa.

De 2002 até 2016, a quantidade de mulheres operando na Bolsa brasileira cresceu mais de oito vezes. Nesse período, o total de investidores registrados como pessoa física aumentou mais de seis vezes. Em números, a soma que antes era de aproximadamente 85 mil pessoas passou para mais de 560 mil.

A facilidade de acesso nos dias de hoje, maior quantidade de informação especializada sobre investimentos e a busca por aplicações mais rentáveis que a poupança, podem ser alguns dos motivos que fizeram as mulheres se enveredarem pelo Mercado de Ações. Além disso, o empoderamento feminino tem ganhado adeptos no mundo todo, colaborando para que as mulheres se tornem cada vez mais independentes e arrojadas.

Conquista diária

Tido como um ambiente majoritariamente masculino, o Mercado de Ações vem se mostrando bastante aberto à participação feminina. O medo delas de investir e explorar um ambiente desafiador tem ficado para trás.

"Agora tudo é mais acessível e tirar dúvidas é muito fácil. Para quem é investidor iniciante, existem empresas especializadas em ensinar como investir na Bolsa de Valores . Além disso, há bastante informação gratuita e de qualidade na internet. Dá até para acompanhar especialistas operando ao vivo", afirma a investidora e Doutora em Biologia, Daniella Vinha.

Investindo desde 2014, a bióloga aproveita o tempo livre para aperfeiçoar seu conhecimento sobre investimentos e ainda ter uma renda extra. No início, ela admite que teve perdas, mas garante que hoje está mais madura quanto à dinâmica da Bolsa de Valores.

"Depois que reconheci meu perfil de investidora, passei a ter mais sucesso em minhas operações. Muita gente sai do mercado já nos primeiros meses porque não tem disciplina e persistência. Ninguém quer perder, mas é preciso ter em mente que o retorno não vem tão fácil como muitos imaginam", pontua.

Outra preocupação para as novatas no Mercado de Ações é quanto à resistência dos homens em relação à presença feminina. Contudo, esse universo se mostra cada vez mais aberto para receber mulheres interessadas em investir.

"Me senti muito bem-vinda. Gradualmente, o mercado tem ficado mais jovem e as pessoas parecem ter a cabeça mais aberta. Mas ainda me incomoda o fato de associarem o lado feminino à fraqueza e à incapacidade, uma coisa de mulherzinha", lamenta Daniella Vinha.

Menosprezar o potencial feminino para os investimentos realmente não tem embasamento. Luana Nunes é formada em Ciências Econômicas e atua na equipe de análise de investimentos da Toro Radar. A escolha por uma área tradicionalmente masculina não foi fácil, mas ela não desistiu do sonho de trabalhar no Mercado de Capitais.

"No início, imaginei que os investidores não me levariam a sério. Mas, no fim das contas, percebi que eles têm mais confiança em mim justamente por eu ser mulher. Dominar uma área ainda tão masculina, me trouxe mais credibilidade", completa.

Apesar de a presença feminina nesses espaços ainda ser pequena, o panorama está aos poucos melhorando. Para Luana Nunes, uma maior abertura nessas áreas de conhecimento pode evitar que as mulheres abram mão de carreiras promissoras. Se, por um lado, o mercado de trabalho ainda causa limitações, por outro já está claro que o potencial feminino, definitivamente, não tem limites.

Website: https://www.tororadar.com.br/infografico/mulheres-poderosas

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.