Saiba como tirar vistos e passaportes para ir aos Estados Unidos

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

04 de janeiro de 2017 | 13h34

São Paulo--(DINO - 03 jan, 2017) - A emissão de passaportes no Brasil estava suspensa desde o dia 7 de dezembro, devido à falta de pagamento da União, que está devendo R$18 milhões a Casa da Moeda. Na última terça-feira (20), a Casa da Moeda voltou a entregar os passaportes aos brasileiros. Para quem está com a viagem marcada, o jeito é correr contra o tempo. Segundo a advogada de imigração, Ingrid Baracchini, "deixar para última hora é correr um maior risco de que o documento não esteja pronto a tempo". Para não ter preocupações com a viagem internacional, a especialista em imigração dá dicas para que tudo dê certo e sem dores de cabeça.

Para aliviar algumas pessoas, a advogada lembra que se a pessoa tiver o passaporte, mas o documento não tenha a validade de seis meses, ela ainda pode ir viajar, contando que o visto tenha um período que atenda os dias em a pessoa estará no país. "Muita gente acha que para entrar no país, o passaporte precisa necessariamente ter a validade de seis meses, mas não é bem assim", comenta Ingrid. Por causa disso, muitas pessoas têm dúvidas do que tirar primeiro: o visto ou o passaporte.

"É uma dúvida bem comum. O primeiro passo é o passaporte. Sem ele, você não consegue solicitar o visto", explica a advogada. Para tirar o passaporte você pode acessar o site da Polícia Federal e receber as instruções para a retirada. O site já possibilita o agendamento. No dia da visita, deve estar munido de RG, CPF, Título de Eleitor e comprovantes que mostram que votou nas últimas eleições, além de alguns outros documentos.

Após ter o passaporte, o próximo passo é solicitar o visto. "Essa parte do processo acaba sendo um pouco mais complicada e sempre indico que a pessoa tenha o auxílio de um profissional", aconselha Ingrid. O primeiro passo para o visto é preencher um formulário disponibilizado pelo Consulado ou Embaixada e agendar uma entrevista. "Você precisará pagar uma taxa e no dia da entrevista estar em posse de diversos documentos", instrui a especialista.

Existem diversos tipos de visto, que irão variar de acordo com a natureza da viagem. Abaixo, alguns tipos:

Visto de turista (B2): com um período máximo de permanência de seis meses, o visto permite que a pessoa apenas visite o país, sem autorização para trabalhar ou estudar;

Visto de estudantes (F1): permite que o residente fique no país pelo mesmo período do curso, com possibilidade de prorrogação;

Visto para participante de programa de incentivo (J1): para quem participa de estágios ou trainees, muito comum para au pairs;

Visto de trabalho temporário (H2B): não exige um diploma de ensino superior e geralmente é promovido por agências. Muito comum nos casos de jovens que vão trabalhar na Disney;

Visto para investidores (EB-5): por um valor de 500 mil dólares, o investidor aplica em uma empresa e recebe o visto. Se o investimento der certo e gerar mais de 10 empregos, o visto pode ser trocado por um Green Card.

Mais sobre Ingrid Baracchini

Ingrid Baracchini é formada em Direito pela Universidade Paulista (UNIP) e possui 11 anos de experiência na área imigratória em parceria com o advogado Reza Rahbaran, eleito TOP 25 Immigration Attorneys. O escritório representa o cliente brasileiro na requisição de qualquer tipo de visto para os Estados Unidos, além de clientes estrangeiros em qualquer área de demanda no Brasil de cunho imigratório, familiar, cível ou criminal. A advogada faz parte da AILA - Associação Americana de Advogados de Imigração. Para saber mais sobre Ingrid acesse www.advogadasdeimigracao.com.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.