Segundo ABIHPEC, cosméticos masculinos representam mais de R$21 mi

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

21 de dezembro de 2016 | 16h31

São Paulo - SP--(DINO - 21 dez, 2016) - O mercado de beleza no Brasil contribui diretamente para a economia, mesmo diante de um cenário de recessão como o enfrentado nos últimos anos. O setor de cosméticos faturou $ 42 milhões de dólares conforme os dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). Deste total, $ 21 milhões fazem referência a produtos que foram adquirido pelo público masculino.

Anteriormente, apenas as mulheres preocupavam-se em utilizar cosméticos para estética. Atualmente, o público masculino participa deste nicho de mercado e cada vez mais as prateleiras ganham espaço e força.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Qualibest, solicitada pela ABIHPEC. Levantaram dados que cerca de 43% dos homens que foram entrevistados, consideram-se vaidosos.

"Quando questionados sobre o que significa a vaidade masculina, a maioria respondeu que a vaidade masculina está ligada à valorização da autoestima e cuidado com a saúde e bem-estar", comentou o executivo da Qualibest.

O gerente de Inteligência de Mercado da ABIHPEC, explica que o segmento tem alta capacidade de crescimento, pois ainda precisam surgir outros produtos além dos que cuidam da higiene pessoal, perfumaria, cuidado do cabelo, barba e até da pele.

"Nos últimos cinco anos o segmento de produtos masculinos cresceu 16% e este mercado posiciona-se como o segundo maior consumidor do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos", comentou o gerente de Inteligência de Mercado.

De acordo com a pesquisa, o público masculino anseia por mais opções de cosméticos para o cuidado com a barba, maquiagens com efeito corretivo e, ainda, cremes depilatórios para o corpo.

"A indústria brasileira de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos está atenta à demanda do mercado e segue investindo em inovação para este segmento. Temos certeza que os homens têm o mesmo potencial de consumo que as mulheres e vamos trabalhar para entregar produtos que atendam as expectativas deste público", finalizou presidente executivo da ABIHPEC.

Com o progresso deste setor, empresas de cosméticos como a Fiorucci, ingressam no mercado para atrair o consumidor masculino, oferecendo produtos de higiene pessoal, como por exemplo, o desodorante sem perfume , que são essenciais para a rotina e beleza masculina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.