Segundo INCA, 28% dos casos de câncer em mulheres são câncer de mama

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

03 de janeiro de 2017 | 14h09

São Paulo - SP--(DINO - 03 jan, 2017) - O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum e que mais mata mulheres ao redor de todo mundo. Isso é o que indica os dados obtidos pela Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer. É por esse motivo que todo dia 19 de Outubro, comemora-se o Dia Internacional do Câncer de Mama.

Segundo previsão do Instituto Nacional do Câncer, foi esperado que surgissem em 2016, 57.960 casos de câncer no Brasil. Sendo que 28%, desse total, seriam câncer de mama. O agravante é que esse é o segundo tipo de tumor maligno que mais incide entre as brasileiras, ficando apenas atrás do câncer de pele.

Muitos pensam que o câncer de mama só afetam mulheres. Todavia, apesar de raro, a doença pode afetar homens.

Em fase inicial, a doença não apresenta sintomas, por isso é difícil detectá-la de maneira precoce. É importante lembrar que quanto antes tratar da enfermidade, mais altas são as taxas de sucesso.

Para a prevenção, é importante que mulheres façam um autoexame. É imprescindível que realizem uma exame especializado. É indicado que mulheres que tenham a faixa etária entre 50 e 69 anos façam mamografia, em um intervalo de dois anos, de acordo com a recomendação do INCA e do Ministério da Saúde.

Apesar das recomendações desses órgãos, a Sociedade Brasileira de Mastologia e outras entidades, recomendam que mulheres comecem a fazer o exame de mamografia ainda com 40 anos, uma vez ao ano.

De acordo com uma pesquisa da Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer, Órgão da Organização Mundial da Saúde, aponta que 1 a cada 4 tipos de câncer que afetam as mulheres, é câncer de mama. Somente em 2012, mais de um milhão e seiscentas mil mulheres sofreram com esse mau.

Em todo o mundo, o câncer de mama é o tipo de câncer que mais mata mulheres. Conforme os dados, 14,7% dos casos de morte em 2012, foram motivados pelo câncer de mama. No mesmo ano, a taxa de mortalidade era superior a 520 mil casos.

A expectativa para 2016 foi que mais de 50% dos casos estimados, ocorreram na região Sudeste do Brasil, segundo o INCA. A segunda região é o Nordeste, seguido pelas regiões Sul, Centro-Oeste e Norte.

Os números obtidos pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, demonstram que mais de 14.388 pessoas morreram de câncer de mama no Brasil, somente de 2013. Do total, 14.206 eram mulheres e 181 homens.

A receita para prevenir essa doença é ter uma vida saudável, pois mais de 30% dos casos desse tipo de enfermidade podem ser evitados mantendo bons hábitos, conforme informações da INCA.

Uma alimentação saudável, controle do peso, praticar regularmente atividade física, amamentar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas. Essas são algumas das recomendações.

O autoexame é extremamente importante, cerca de 65% das mulheres, descobriram o câncer de mama sozinhas, pois percebem alguma alteração na mama.

Um dos grandes especialistas em Mastologia do Brasil, é o médico Guilherme Novita Garcia, com o objetivo de contribuir na luta contra o câncer de mama. Especialista em Mastologia pelo Instituto Europeu de Oncologia, em Milão na Itália.

Além de atuar como coordenador do Serviço de Mastologia do Hospital Paulistano e Albert Einstein, Guilherme Novita Garcia ministra palestras para a população com o tema "Prevenção do Câncer de Mama". Contudo, autor do livro "Doenças da Mama".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.