Site cria sistema que contribui para a melhoria da educação brasileira

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

09 de janeiro de 2017 | 17h25

(DINO - 09 jan, 2017) - O Brasil gasta 6,6% do PIB em educação, o que equivale a aproximadamente R$ 360 bilhões por ano.

Mas como saber ao certo para onde esse dinheiro está indo e com que qualidade está sendo investido?

Segundo Sergio Andrade, cofundador do site MelhorEscola.Net (www.melhorescola.net) precisamos analisar a ponta da educação. Precisamos analisar as escolas.

São muitas as escolas brasileiras: 193 mil escolas públicas e privadas. Por isso, o site MelhorEscola.Net (www.melhorescola.net) está criando um mapa para saber como a educação está acontecendo em cada uma das escolas. Ainda segundo Sergio o site já possui mais de 7 mil avaliações e depoimentos). "Precisamos que pais, alunos, ex-alunos e professores avaliem suas escolas para concluirmos o mapa da educação brasileira", completa Sergio.

Segundo Sergio, a população pode ajudar na criação desse grande mapa da educação brasileira seguindo os passos abaixo:

1-acessar www.melhorescola.net.

2- Encontrar e avaliar as escolas que estudou e estuda. Ou as escolas do seu filho.

2- Compartilhar a página de avaliação dessas escolas com seus colegas.

3- Compartilhar esse texto para que mais pessoas possam conhecer o mapeamento da educação brasileira.

Segundo Juliano Souza, responsável do site por parcerias com escolas, as avaliações de escolas públicas e privadas são igualmente importantes. "Queremos conhecer cada filosofia de ensino e quais seus resultados na prática, comparar escolas de diferentes valores de mensalidade com escolas públicas e assim possibilitar mais transparência à educação brasileira".

Que tal começar agora? São menos de 2 minutos e você contribui com a educação brasileira.

Você pode ajudar.

Website: https://www.melhorescola.net

Tudo o que sabemos sobre:
ReleasesBrasilPIBNetSergio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.