Startup BeLocal Exchange cria comunidade latino-americana de troca de casa por temporada

Rio de Janeiro, RJ--(DINO - 18 jan, 2017) - A startup BeLocal Exchange quer atrair os brasileiros e latino-americanos para uma nova forma de viajar gastando muito menos. Lançada em setembro, a empresa oferece uma plataforma que promove o encontro entre pessoas de diferentes lugares que queiram trocar de casa no período de férias. A alternativa barateia não só o custo da viagem como pretende formar uma comunidade de viajantes reunida por meio do site www.belocalexchange.com. Segundo informações da empresa, o negócio pode aumentar o interesse de turistas, aumentando o fluxo de viajantes para o país.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

18 Janeiro 2017 | 17h26

A ideia da troca de casa é reduzir os custos com despesas de hospedagem, que geralmente consomem uma parte expressiva do orçamento da viagem, e proporcionar um ambiente mais acolhedor para quem viaja do que um quarto de hotel. De acordo com a empresa, há um forte potencial de crescimento na América Latina já que esta é a primeira iniciativa que visa trabalhar em todo o continente. Além disso, uma das apostas da BeLocal é que casas de férias, que ficam fechadas em boa parte do ano, sejam cadastradas e ocupadas na baixa temporada. Segundo Andrea, a redução de custos com hospedagem representa até 50% do orçamento de uma viagem. Com o dinheiro economizado, é possível ficar mais tempo e explorar melhor uma cidade, sem correria, além de enriquecer os roteiros com opções gastronômicas, culturais e de passeios.

A BeLocal surgiu a partir da experiência de sua fundadora, Andrea Aguiar, que já trocou de casa 14 vezes em dez anos, e é uma entusiasta da iniciativa. "Pretendemos estimular o turismo interno, com a troca de casas entre brasileiros, e incentivar nossos vizinhos da América Latina a se aproximarem mais do Brasil. Queremos também consolidar esses países como destinos de férias para pessoas dos Estados Unidos e de países da Europa onde a troca já é mais usual", diz. A startup está sediada no Rio de Janeiro, no Brasil, e opera com representantes em diversos países.

A empresa aposta também que a criação de uma rede social de viajantes vai minimizar o impacto ambiental. "A BeLocal entende que a troca de casa maximiza o uso de recursos existentes; reutiliza residências que permanecem vazias durante boa parte do ano, contribui para a qualidade de vida sem o impacto ambiental do turismo de massa", afirma Andrea. Em destinos mais procurados, a startup incentiva que seus associados vão além de pontos turísticos e procurem descobrir a cidade como moradores locais.

Como funciona

O uso da plataforma é gratuito. Após cadastrar sua casa no site da BeLocal Exchange, o associado passa a fazer parte do clube de trocas. O site lista as casas disponíveis para troca e um mecanismo de busca permite pesquisar as ofertas por destino. Um sistema de e-mails interno possibilita que os associados combinem todos os detalhes da troca. Somente ao final do acerto é que o associado paga a anuidade para a BeLocal Exchange que dá direito a um número ilimitado de trocas no período. O ambiente é seguro e os dados pessoais, como nome completo, endereço e telefone, só são fornecidos depois que a troca é combinada entre os dois associados. Além disso, a startup associou-se à Traity, um site espanhol especializado em verificações de identidade online, para checar dados de todos os associados cruzando várias informações.

Website: https://www.belocalexchange.com

Mais conteúdo sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.