SZS lança serviço novo e inédito, vídeo-release

(DINO - 10 mar, 2017) - Desde fevereiro, a SZS Assessoria de Imprensa, com sede em Sorocaba (SP), passa a oferecer mais uma ferramenta de comunicação aos seus clientes, o vídeo-release. Cada vez mais presente nos Estados Unidos e na Europa, o instrumento começou a ser aplicado no Brasil há menos de dez anos e por poucas agências de comunicação. As produções ficarão à disposição da imprensa no YouTube, no canal "SZS Vídeo?release".

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

10 de março de 2017 | 16h40

Também denominado como social media video-release (SMVR), este recurso multimídia aborda um único assunto ? assim como os releases tradicionais ? em programas que variam de quinze a trinta minutos. Considerado ágil e sofisticado, ele permite que a mensagem se reverbere com mais intensidade, pois atende a outras plataformas, como o ambiente online e as televisões, sobretudo as comunitárias. Outro diferencial é que possibilita uma maior diversidade dos serviços oferecidos pela assessoria de imprensa.

De acordo com Sérgio Said (foto), sócio da SZS, os vídeos-release são produzidos dentro do formato jornalístico. "Adjetivação, fantasias, inverdades ou manipulação de conceitos para favorecer o cliente são inadmissíveis", destaca. "Produzimos informação com conteúdo e formato jornalístico, jamais promocional", garante.

As entrevistas são gravadas no estúdio da própria SZS, com uma ou duas fontes. Os programas admitem que as televisões veiculem anúncios durante os intervalos. "Contudo, não cobramos nenhum tipo de comissão. Eventuais receitas publicitárias ficam, exclusivamente, aos meios de comunicação", garante Sergio.

De acordo com ele, os clientes podem aproveitar os vídeo-releases em suas mídias próprias, incluindo Facebook, YouTube, sites e em e-mails marketing. Este último ponto é, segundo o empresário, muito interessante: "As chances de um e-mail marketing ser aberto pelo destinatário aumentam em até 19% quando, no assunto da mensagem, está presente a palavra "vídeo". Além disso, a probabilidade de o usuário clicar no link cresce até 65%, conforme pesquisa publicada em 2014 pela consultoria americana Brainshark".

Outro levantamento ? este, desenvolvido pela ConsumerLab, em 2013 ? identificou que 62% dos brasileiros preferem assistir a vídeos e à televisão em dispositivos móveis. "Uma análise realizada pela Cisco em junho de 2016 revelou que os vídeos serão responsáveis por 69% do movimento na internet em 2017. Dentro de três anos, essa quantidade deverá quadriplicar", observa o jornalista.

Paralelamente, a empresa de análises digitais ComScore apontou, no final de 2014, que 68 milhões de brasileiros acompanharam 11 bilhões de vídeos online. Além disso, 86,5% dos usuários têm o hábito de ver vídeos na rede e dedicam, em média, 8,6 horas mensais a essa atividade.

Para Sergio, o vídeo-release é uma evolução no rol de produtos e serviços oferecidos por sua assessoria de imprensa, fundada em 1993 e pioneira na região de Sorocaba. "Atuamos também com releases tradicionais, gestão de crise, media training, curadoria de conteúdo para mídias sociais e consultorias. Agora, este novo serviço enfoca uma das áreas de maior crescimento no segmento da comunicação: os vídeos", comenta.

Outro fator que levou a SZS a lançar os vídeos-releases é a diminuição dos espaços editoriais nas mídias impressas. "Com a retração da economia, reduziram-se os anúncios publicitários. Consequentemente, os jornais e as revistas limitaram seu número de páginas", pondera. "Hoje, a disputa das assessorias de imprensa pelos espaços editoriais tornou-se muito mais acirrada", diz.

Segundo Sérgio, quem contrata sua empresa deseja comunicar-se. "Atualmente, a maioria das companhias e dos profissionais que assessoramos quer passar uma mensagem. Ao contrário do que acontecia anos atrás, nossos clientes não exigem mais ser alvo de reportagem neste ou naquele veículo", analisa. "Aliando este fato à expansão dos meios digitais, temos um campo fértil para trabalhar."

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.