Tecnologia torna o seguro barato, mas será que compensa?

São Paulo--(DINO - 20 jan, 2017) - O mercado de seguros para automóveis está passando por mudanças pela adoção de novas tecnologias, mas é importante que o consumidor possa fazer as escolhas mais adequadas e conscientes.

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

20 de janeiro de 2017 | 10h18

Pensando nisso, o SegurodeAutomovel.org, site especializado na cotação de seguro auto online, fez uma análise do mercado para saber como as novas tecnologias na produção de automóveis e novos hábitos dos consumidores estão impactando no setor de seguros de carros.

O mercado atual de seguros em todo o mundo envolve US$ 200 bilhões. Mas algumas mudanças parecem alterar e até ameaçar o seu funcionamento, se olharmos para um futuro não muito distante. Pesquisa realizada pelo Grupo de Consultoria Boston (The Boston Consulting Group), realizada em 11 países, com fabricantes de veículos, consumidores de seguros e provedores de tecnologia, mostrou quais são as razões para que isso aconteça.

A pesquisa mostrou o que está alterando as perspectivas do mercado de seguros de automóvel:

? Novas tecnologias, como modernos assistentes de condução, ou pilotos automáticos, que podem frear ou controlar o volante.

? Novas regulamentações

? Mudanças sociais, que podem reduzir o mercado em até 84% até 2040, nos países da Europa, no Japão e Estados Unidos.

? Os carros autônomos, que estarão acessíveis na próxima década, vão diminuir as estatísticas de acidentes causados por falha humana.

As mudanças sociais estão acontecendo nos países desenvolvidos, onde os consumidores estão preferindo deixar o carro próprio de lado. O estudo demonstrou que 84% do público consumidor gostaria de utilizar táxis ao invés de seu veículo, se o seu preço fosse mais baixo. Apenas 60% dos entrevistados pretendem manter um carro próprio se não o utilizassem diariamente. Um total de 25% já está disposto a deixar de possuir um carro.

Os carros autônomos têm uma perspectiva de grande aceitação, já que 52% dos entrevistados declararam que comprariam um carro desse tipo e 54% aceitaram uma carona em um carro autônomo. No entanto, 40% dos que foram ouvidos ainda tem uma certa resistência a aceitar o carro autônomo, porque ainda não confiam nas suas condições de segurança.

Em mercados emergentes, como o Brasil, 80% das pessoas nem pensam em ficar sem carro. É claro que para isso contribui as distâncias continentais do país e as deficiências do transporte coletivo. Por essa razão, as empresas de seguro brasileiras ainda vão poder comercializar seguros por um bom tempo.

Parte inferior do formulário

A maneira de atuar no mercado de seguros também está mudando. O estudo publicado mostrou que 50% dos jovens motoristas estão dispostos a adquirir seguros na internet. É uma geração que nasceu na era digital e está acostumada a utilizar as ferramentas online.

SERÁ QUE A SIMPLIFICAÇÃO COMPENSA PARA O CONSUMIDOR?

A venda de seguros pode ser realizada através de um corretor de seguros habilitado ou contratando diretamente com as empresas seguradoras. As duas opções são previstas em lei.

Para o consumidor, a diferença entre comprar com a intermediação de um corretor ou comprar diretamente, é a quantidade e a qualidade de informações que pode obter para o melhor negócio possível. O especialista em seguros, o corretor, é a pessoa que pode fornecer os detalhes necessários para a compra do seguro e fornecer todas as informações depois de realizar uma pesquisa para comparação de preços entre todas as seguradoras.

O corretor de seguros está em condições de mostrar a melhor opção para seu cliente. Não apenas na hora da venda do seguro, mas caso o seguro precise ser acionado, o corretor de seguros pode e deve continuar dando toda assistência ao seu cliente, facilitando os trâmites para o relacionamento com a seguradora.

A venda online pode ser interessante para o consumidor, mas desde que ofereça todas as condições para uma escolha bem fundamentada, com as informações necessárias, para que a tecnologia esteja a serviço da satisfação do cliente. A possibilidade de apresentar um produto individualizado, customizado e mais barato, pode esconder uma cobertura muito mais restrita do que os seguros tradicionais, que são mais caros. O consumidor pode descobrir que seu seguro não funciona somente na hora em que mais vai precisar dele!

Website: http://www.segurodeautomovel.org

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.