Veja como o estresse ajuda na compulsão alimentar

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

26 Dezembro 2016 | 10h16

São Paulo, SP--(DINO - 26 dez, 2016) - A compulsão alimentar está ligada a causas emocionais. Em geral, ocorre a necessidade de controlar as emoções com base na ingestão de carboidratos, sobretudo doces, já que esses alimentos aumentam a serotonina que é o neurotransmissor que provoca a sensação de prazer e sossego.

Após momentos de estresse e mágoas, a vontade de comer aparece e não deve ser confundida com a fome. O problema é que esse impulso causa ganho de peso e compromete a saúde, já que a vontade é de comer alimentos pouco saudáveis e ricos em gorduras. Entretanto, existem formas de controlá-lo e minimizar seus danos.

É necessário criar consciência sobre o que se está comendo e distinguir se aquela refeição está sendo motivada pela necessidade fisiológica ou como forma de descontar emoções ou recompensa. Perguntar sempre o porquê você está comendo e se vale a pena realmente poder ajudar a identificar os gatilhos emocionais e identificar a melhor forma de lidar com eles.

Perceber a diferença entre a fome física e a fome emocional pode ajudar a vencer a compulsão, dando melhor suporte para lidar com as situações de descarga emocional. Existem algumas maneiras de descobrir se você está passando por um momento de compulsão alimentar e formas de controlar o impulso.

Dietas muito restritivas devem ser evitadas, já que não ajudam a emagrecer e retiram completamente da dieta um grupo alimentar. O melhor é começar uma reeducação alimentar, o que não significa que nunca mais poderá comer seus alimentos preferidos, mas que irá restringi-los um pouco, para evitar os excessos.

A culpa por "meter o pé na jaca" deve ser substituída pela recompensa. Se perceber que comeu muito no dia anterior, reduza as quantidades no outro dia e opte por alimentos mais saudáveis. Emagrecer tem muito a ver com a matemática das calorias e um exagero não quer dizer que a dieta acabou.

Comer de três em três horas ajuda a aliviar a compulsão, pois faz com que o organismo mantenha um ritmo, além de acelerar o metabolismo. Ficar muito tempo pensando no que comer não ajuda a emagrecer, muito pelo contrário. Em dias estressantes, fique longe da cozinha. Isso ajuda a controlar o impulso de atacar a geladeira.

É importante ficar de olho na alimentação. Alimentos ricos em gorduras e carboidratos refinados como doces são os mais prejudiciais e também os mais consumidos em episódios compulsivos. Mas, até mesmo os alimentos lights, se consumidos em excesso, resultarão em ganho de peso.

Alguns métodos naturais, como por exemplo as capsulas de SlimCaps podem auxiliar no emagrecimento e na redução do apetite, pois atuam no aceleramento do metabolismo - o que faz com que a gordura seja queimada mais rapidamente - e no bom funcionamento do intestino. O método também melhora os níveis de colesterol no sangue, que, associados ao estresse, podem favorecer o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Mais conteúdo sobre:
ReleasesSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.