Você acha que já viu de tudo? Conheça o site onde você encontra os serviços mais inusitados da internet

Rio de Janeiro, RJ--(DINO - 26 jan, 2017) - O que você acha de um site de Freelancers que além de vender serviços comuns como o de logotipo, papelaria e marketing Digital, vende conselhos amorosos, lições para Pais e vídeos de vacas coreografando com o seu logotipo?

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

26 de janeiro de 2017 | 17h04

O Vinteconto oferece serviços a partir de um valor simbólico de R$20, entre eles no entanto, encontramos alguns que são, digamos, bem diferentes.

Os 5 serviços mais inusitados do Vinteconto - Escolhidos a dedo

1 " Eu vou dar em cima de você no Facebook e implorar que fique comigo"

Seja para deixar a ex morrendo de ciúme ou para mostrar para os amigos que está fazendo sucesso com as meninas, este serviço segue a tendência daqueles que compram curtidas nas redes sociais para ganhar popularidade para sua empresa. E por quê não ganhar popularidade para si próprio?

2 "Eu vou fazer fotos ou vídeos do meu pé"

Segundo Nicky Costa, fundadora e CEO do Vinteconto, vídeos criativos elaborados com os pés podem ser bastante proveitosos para salões de pedicure, sapatarias e até para outros tipos de negócio, "Sem dúvidas, pode se tornar uma ótima jogada de Publicidade para chamar a atenção, se usado de maneira inteligente", comenta.

3 "Eu vou colocar as minhas vacas para dançar com o seu logo"

Nesta tarefa, dançarinos se vestem de vacas e dão um show com o logotipo do cliente no fundo do vídeo. O que você acha da ideia?

4 "Eu vou escrever a sua mensagem neste balão e assoprar até estourar"

Se a ideia é fazer uma surpresa para alguém, ou fazer com que sua mensagem seja vista por uma determinada audiência, esta tarefa pode ser uma alternativa.

"Parece bobo, não? mas funciona!", afirma Nicky.

5 "Eu vou te dar um conselho amigo"

Como já diz o ditado popular "Se conselho fosse bom não se dava, se vendia", então este deve ser bom mesmo, certo?

Usando a criatividade para ganhar voz

O Vinteconto adotou os mais diversos tipos de tarefas, comuns ou não, trazidas pelos freelancers, alegando que as vendas são a prova de que há um mercado para estes serviços.

A CEO do Vinteconto também aponta a crescente demanda para diversos tipos de materiais criativos na internet, "Nós estamos em 2017 e vários serviços que seriam considerados banais há 15 anos atrás, hoje em dia, podem ser bastante úteis. A criatividade é o único caminho para ser ouvido no meio do barulho da internet", comenta.

Apesar das ofertas de tarefas criativas e pra lá de cômicas, a proposta do Vinteconto, que foi lançado no final de 2015, é séria e visa a gerar renda extra para os brasileiros.

Segundo Nicky, o site foi criado para que milhares de profissionais que perderam seus empregos com a crise conseguissem uma renda extra como profissionais liberais, ao mesmo tempo ajudando àqueles empreendedores, que migraram de empresas físicas para empresas digitais, onde o custo é significantemente mais baixo, a começar um negócio.

De onde surgiu a inspiração?

O Vinteconto foi inspirado em um site que vem provando o seu conceito. Quem conhece o site americano Fiverr e seus "Gigs", como são chamados os serviços, já reconhece o conceito que o Vinteconto, o "Fiverr brasileiro", e suas "tarefas" propõe.

Assim como os freelancers do Fiverr, os brasileiros, que são para lá de criativos, além de anunciarem serviços comuns, não perderam tempo e começaram a vender os mais inusitados serviços no site. "Felizmente, a era digital abriu as portas da diversidade, e todos nós ganhamos com isso", comenta Nicky.

A comunidade do Vinteconto, que recentemente celebrou seu aniversário de 1 ano, hoje conta com 14 mil usuários e mais de 10 mil anúncios nas mais diferentes categorias. O Vinteconto foi adotado por milhares de profissionais brasileiros, formando-se uma comunidade que realiza tarefas uns para os outros.

Website: https://vinteconto.com.br/

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.