Voz de comando feminina no território masculino dos canteiros de obras

Este conteúdo é uma comunicação empresarial

Por DINO DIVULGADOR DE NOTÍCIAS

16 de março de 2017 | 09h38

Rio de Janeiro, RJ--(DINO - 10 mar, 2017) - Voz de comando feminina no território masculino dos canteiros de obrasHá dez anos na Locar Guindastes e Transportes Intermodais, a carioca Cristina Zaluski é uma voz de comando em grandes obras, coordenando os operadores e resolvendo problemas de gestão. Atua em função tradicionalmente ocupada por homens. O dia a dia dos canteiros de obras não é simples para o encarregado. Além de coordenar os operadores das máquinas, seus horários e a execução do trabalho, também resolvem problemas como questões de funcionamento e manutenção dos equipamentos. Essas tarefas são usualmente desempenhadas por homens, que chegam a passar meses longe de casa, atuando em empreendimentos em todo o Brasil. Na Locar, empresa líder em içamento e no segmento de movimentação de cargas especiais na América Latina, há uma mulher entre os encarregados de obras, algo muito raro no mercado de trabalho. Trata-se de Cristina Zaluski, 45 anos, que tem uma filha de 26. Muitas vezes, a profissional fica longos períodos sem encontrá-la. Essa é a parte mais difícil, mas a saudade é atenuada por três telefonemas diários. "Às vezes, porém, nem isso é possível. Lembro-me de um trabalho em Altamira, no Pará, onde celular não tinha sinal no canteiro de obras. Só conseguia falar com minha filha à noite. Foi um ano inteiro assim. Um sufoco", comenta Cristina, em meio a um sorriso. Mudar de cidade muitas vezes não é um problema para essa profissional. Hoje, é responsável por uma obra em Macaé, no Estado do Rio de Janeiro. Ela conta que não sabe quanto tempo deve ficar ali, mas que, a cada três meses, tem cinco dias úteis de folga, nos quais volta para Petrópolis, onde é sua casa. "Agora eu aluguei um apartamento pequeno em Macaé, mas, em outros projetos, já fiquei em hotel e mesmo nos alojamento nos canteiros de obra. Para mim não faz diferença". Há dez anos na empresa, Cristina iniciou sua carreira como assistente administrativa. Ela tem o segundo grau completo e, aos poucos, foi se capacitando e crescendo. Conta com orgulho que conseguiu "formar" a filha em Direito e que gostaria de também continuar seus estudos a distância. Hoje, a encarregada de obras é considerada uma pessoa especial, capaz de resolver problemas e organizar fluxos nos projetos mais complexos dos clientes da LOCAR. "A Cristina é uma técnica realmente estratégica. Se percebemos que existe uma complexidade no projeto, o primeiro nome no qual pensamos para o posto é o dela", afirma Marina Simões, gerente executiva da LOCAR.A empresaHá 29 anos no mercado, a LOCAR Guindastes e Transportes Intermodais é empresa líder no içamento e na movimentação de cargas especiais na América Latina. Sediada em Guarulhos, tem filiais pelo País e mais de mil colaboradores, além de ser a única a oferecer um amplo leque de soluções.

Tudo o que sabemos sobre:
Releases

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.