Analistas de mercado não acreditam em inflação no centro da meta em 2012

De acordo com fonte, na segunda reunião com presidente do BC quase não se falou na inflação de 2011: 'parece que todos já dão o ano como perdido'

Marcílio Souza e Flavio Leonel, da Agência Estado,

27 de maio de 2011 | 18h12

A segunda reunião desta sexta-feira, 27, entre o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, representantes da autoridade monetária e analistas do mercado financeiro chegou a pelo menos uma conclusão: o de que a inflação não convergirá para a meta ao final de 2012.

"Quase não se falou na inflação de 2011, parece que todos já dão este ano como perdido. E sobre 2012, não há ninguém que acredite na convergência. O cenário mais otimista que eu ouvi - e de apenas um dos presentes - é de que a inflação deve se desacelerar lentamente até o final do ano que vem, mas ainda assim ficará acima dos 4,5%", afirmou um analista.

A fonte se disse surpreendida com a avaliação de alguns presentes sobre o cenário internacional. "Eu achava que era o mais pessimista com relação ao ambiente externo, mas vi hoje que não estava sozinho", afirmou. "No que se refere ao cenário externo, há consenso de que existe uma desaceleração econômica em curso", disse outro economista. "Isso vai diminuir a pressão sobre as commodities, mas houve quem colocasse que é arriscado o BC contar com isso para esperar uma convergência da inflação, já que a atividade lá fora pode voltar a se acelerar mais tarde".

Em seus encontros com o mercado, o BC tem como objetivo colher análises dos economistas para confeccionar o Relatório Trimestral de Inflação, que tem divulgação prevista para até o final de junho. A terceira e última reunião do dia teve início por volta das 15h30 desta sexta-feira, 27. Na última quinta-feira, 26, o Banco Central já havia realizado reunião única com economistas no Rio de Janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.